sexta-feira, 24 de abril de 2015

Do imponderável

Você faz vibrar meu coração.
Ouço uma canção não sei aonde,
Uma incrível sensação me consome.
Alguns dão nome, eu não.
Pra que decifrar sentimentos,
O que vem de dentro,
A linguagem dos gestos.
Há Imprecisão na fala,
Há improvável percepção.
Vivenciar, colher as rosas
No final da tarde, é melhor
Que questionar o que
Não tem explicação.

Fábio Murilo, 24.04.2015

Canção do Amor Imprevisto - Mario Quintana

sábado, 18 de abril de 2015

A Idade da Razão


Descobri que meus semideuses,
São falhos e contraditórios,
Que todo espelho fica embaçado.
Que meus senhores,
Meus proprietários, também,
Foram amáveis impostores.
Como qualquer ser humano,
Mal acostumado, descobri
Todas as dores do mundo...
De ver ruir por terra
As amorosas mentiras.
E reescrever minha história
Agora, no papel dos meus pais.

Fabio, 07.04.2003

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Rastros


Tua lembrança acalma,
Alegra minh’alma
Nessa invernosa rotina.
Tua presença ainda,
Mormaço do que
A pouco era fato.

Ao que alude a teu rosto
A enfeitar o espaço,
A projetar no vazio
O esboço das coisas
Que marcam,
Que adquiriram o status
Do que é essencial,
Agora criação
No outrora  caos.
  
08.04.2015

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Segunda Edição


Quero compartilhar contigo
Desse teu céu mais colorido,
Dessas tuas manhãs encantadas.
Quando a T V não tiver ligada,
Quero ser teu herói preferido.
Não te ensinar nada em definitivo,
Nada do que aprendendo vivo.
Em vez de professor,
Antes for, o aluno mais antigo.
Não ser teu proprietário
Amo e senhor, um ditador.
Não impor, depor...
Ser tão somente um confidente,
Sempre que precisares contar comigo.
Ser atualmente, literalmente,
O maior dos teus pequeninos amigos.
  
Fábio Murilo, 14.06.2002