domingo, 15 de outubro de 2017

Surpreendente


Mulher das surpresas, você é uma beleza
Que só vendo, tão imprevisível, igual
Certos livros que por mais que a gente leia
        Nunca é totalmente lido, sugerindo         
Releituras, assegurando edições futuras.
Cheia das novidades qual almanaque antigo,
Jornal matutino, versátil, animada, célere,
           Revista ilustrada, aclamado Best-seller.          
                                 
                               Fábio Murilo, 15.10.2017                             

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Ímpar


Não fique séria.
Sérias são as estradas,
O amanhecer na cidade,
A pontualidade
De quem trabalha.

Os tons das fardas,
As coisas inanimadas,
Ressecadas, mantidas
Num vidro de formol.

Ser diferente só te premia,
Como um tesouro
Entre as bijuterias,
Como a cereja do bolo.

Fábio Murilo, 06.10.2017

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Empatia


Com a gente não há excessos, exceto só de atenção.
A gente dá muito certo, nada é urgente, é calmo.
As palavras polidas, escolhidas, elaboradas, proferidas
Como num buquê de rosas ofertado, rosas escolhidas,
Cuidados que agrada a alma, a sensibilidade.

Tão perto, tão certo, tão à vontade, tão aproximados.
É tanta consideração, preocupação, disponibilidade,
Como se um do outro fosse extensão, metade,
Como as mãos que do mesmo corpo fazem parte.

Fábio Murilo, 29.09.2017

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Simples


Meu carinho lhe cerca de cuidados,
É um ninho, abrigo, um afago.
É uma compulsão, quando vê...

É um cego tateando no escuro,
Mãos que precedem o aspecto físico
E enxergam o inefável, invisível.

Como respirar, comer, beber...
Entender não faz nenhuma diferença,
É instintivo, age-se sem perceber.

Fábio Murilo, 23.07.2017