sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Padronizado

Não vá pelos outros, vá pelos loucos,
Mesmo que não seja fácil...
Vá pelo torto prá ser mais exato.
Prá estar apto a viver
Nesse baile de máscaras.
A conviver nessa farsa.
Onde quem não se disfarça,
É excluído, é inibido, é recusado.
É podado como se fazem
As belas árvores,
Que trazem flores nos ramos
E frutos aos cachos.

Fábio Murilo, 28.06.2009 

62 comentários:

  1. Bom dia amigo Fábio.

    Tenho uma ideia em mente justamente sobre esse baile de máscaras que vivemos. É preciso ser bonito, é preciso ser rico, é preciso ser artificial para se viver, caso contrário, somos podados dos círculos sociais. Muito bacana sua escrita.

    Fique na paz,
    Daniel

    http://gagopoetico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi como eu falei, exatamente isso. Viva a "loucura" sadia, os malucos beleza (rs...). Obrigado Daniel.

      Excluir
  2. Boa tarde Fábio.. grato pela visita.. pior né.. essas mulheres mexem com a cbeça de qualquer homem rss sobre teu poema. com a maestria de sempre e deixo um pensamento
    os loucos tentam moldar o mundo
    os normais são moldados por ele..
    lindo dia abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Donas das nossas cabeças, elas nos endoidam e a gente é doido por elas. (rs...). É mesmos, os grandes gênio foram chamados e considerados loucos. Obrigado Balbinot.

      Excluir
  3. Que beleza!
    Pode deixar, sempre vou pelos loucos.

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, jovem poetiza Hellen. Das palavras precisas, dos versos tão bem lapidados. Mas és tão elegante, disfarças muito bem tua loucura, genial (rs...).

      Excluir
  4. Durante vários anos vivi uma vida de farsa, até que cansei de ser a pessoa "normal" que sou mas não formatada do ponto de vista do que os outros esperam de mim. Comecei a agir como me convém, e a dizer o que me apetece, sempre com o máximo de educação, da qual não abdico. Fui excluída de certas reuniões familiares por colocar questões em cima da mesa que as pessoas não têm qualquer interesse em discutir, fingindo que tudo está bem como está. A verdade é que me fizeram um grande favor porque aqueles jantares eram mesmo uma "seca"!...:-)
    Também já me senti descriminada por não seguir qualquer tipo de religião, e nestes casos até gosto de me sentir excluída.
    Não sei bem se sou uma dessas árvores com flores e frutos, acho que sou mais um simples e rústico arbusto que começou a achar graça a certas intempéries causadas apenas pelo simples facto de não pactuar nunca mais com esses bailes de máscaras, e com certas pessoas que teimam em pensar que sabem sempre o que é melhor para os outros.
    Gostei muito do seu poema, principalmente da parte final.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ".... aqueles jantares eram mesmo uma "seca"!.." aqui nós dizemos "um saco!" "Não sei bem se sou uma dessas árvores com flores e frutos, acho que sou mais um simples e rústico arbusto que começou a achar graça a certas intempéries causadas apenas pelo simples facto de não pactuar nunca mais com esses bailes de máscaras, e com certas pessoas que teimam em pensar que sabem sempre o que é melhor para os outros". Eitá, lindo!!!! Dizer mais o que? Laura me deixa sem maiores e melhores argumentos. Tudo que for acrescentado será redundância, chover no molhado. Perfeita, perfeita, perfeita.... Obrigado por honrar-me com seus comentários, filosofia pura.

      Excluir
    2. Que exagerado que você é, Fábio!...:-)

      Excluir
  5. Venho conhecer seu blog e fiquei encantada com seu poema
    uma rima certa correta palavras , que se encacham .
    Foi um prazer enorme te conhecer e seguir seu belíssimo espaço.
    Um lindo Domingo abraços , Evanir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Evanir, seja bem vinda. Obrigado pelos gentis elogios. Tenha um bom domingo também.

      Excluir
  6. Meu Deus.. Que lindo *-*
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Amigo,

    A poesia de qualidade está morrendo
    Há muito o disse
    há muito o senti
    há muito acredito
    há muito tenho a certeza
    e odeio que seja verdade!

    Mas gostei de o encontrar em Evanir
    e gostei do que escreve!

    Escrevo poesia nos "7degraus"
    Fiquei por aqui e o espero no meu blogs!

    Maria Luísa

    ResponderExcluir
  8. Boa noite, Fábio. Acredito que temos de ser autênticos, devemos deixar o nosso pensamento fluir a despeito de uma sociedade que quer nos moldar, que simplesmente esbanja hipocrisia.
    Sou o que sou, por vezes posso ser polêmica, não sei, mas sou eu, a minha essência e assim devemos ser.
    Máscaras não nos servem de nada, apenas são utopias, e elas não nos fazem bem.
    Se não compram a nossa ideia, o nosso pensamento e nem nós o dos outros, ótimo, questão de livre arbítrio.
    Sejamos leais ao que sentimos, educados para discordar, mas prontos para falar sem agredir.
    Ninguém ou nada deve nos podar, somos livres!
    Beijos na alma e paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patricia, você simplesmente dissecou o poema, espalhou em partes, analisou cada minúcia, cada reentrância, cada protuberância... com o olho clinico de uma profissional das letras! E fez uma analise detalhada, precisa. No final o poema ficou mais bonito, ganhou uma cauda de pavão. Muito obrigado Poetamiga!

      Excluir
  9. O encontrei e gostei do encontro nos "7degraus", mas não o encontrei nos seguidores
    por razões só suas e não minhas...

    Agradeço a sua presença!

    Maria Luísa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amável Maria Luisa, mil perdões pela desatenção!!! Estou me penitenciando até agora por isso. Sempre que visito um blog, inédito, deixo meus comentários, mesmo que o visitante não o tenha feito no meu. E tenho o cuidado, extremado, de formalizar, vamos dizer assim, a opção Seguidores, mesmo que igualmente o visitante, volto a repetir, não o tenha feito no comigo. Que coisa chata!!! Perdoe-me novamente a aparente grosseira e ingratidão, não vi num primeiro momento. Aconselho, no entanto deixar mais visível a opção Seguidores, bem ao lado da poesia recentemente postada, assim fiz no meu blog , nessa ordem: primeiro o Perfil, depois Seguidores, no seu blog ta muito embaixo, certamente foi isso que ocorreu comigo, não vi, pode fazer isso nas configurações. Mais uma vez perdoe-me, tenho enorme prazer em tornam-me seguidor de quem quer que seja inclusive seu, caríssima Senhora. Acho importantíssimo e salutar essa interação. Seu blog é muito elegante, refletindo, obviamente, a personalidade da proprietária, tem, uma poesia leve e uma melodia agradável, divinal, de fundo, tornando agradabilíssima a estadia. Perdão mais uma vez. Perdão, perdão, perdão... Espero que essa aparente indelicadeza não tenha me condenado a não mais receber suas visitas. Olha que nunca mais vou me perdoar essa minha estupidez, é sério. Perdoe-me...

      Excluir
  10. Querido Fabio.
    Eu adorei sua visita suas gentis palavras acredito
    piamente , que já somos amigos.
    Sou grata por seguir meu blog e ficarei mais grata ainda se permitir , que eu poste
    um de seus poemas no meu blog.
    A bastante tempo mantenho meu blog com poemas de amigos e amigas independente de Pais.
    È maravilhoso para mim recordar quantos blogs eu uni nessa grande viagem ,
    que logo completa 3 anos.
    Embora eu seja blogueira a mais de 8 anos.
    Uma feliz semana meu amigo abraços , Evanir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro! Muito me honraria, escolha. Só terei a agradecer a rara gentileza. Grato pela consideração, muito me comove. Fique a vontade Evanir, ótima semana prá você também. Obrigado.

      Excluir
    2. Amigo

      Chega e eu não quis chegar tão longe! Nada há a perdoar! Agradeço, mas ,
      não peça perdão, pois sou uma criatura igual a si num mundo ainda por nascer...

      Até nem sei que dizer e peço desculpa por ter chamado a atenção!

      Me perdoe, também, a minha indelicadeza!

      Um abraço e obrigada,

      maria luísa

      Excluir
    3. De nada Maria Luisa. É que eu sou perfeccionista e essas coisas se agigantam na minha cabeça e qualquer erro, por menor que seja, qualquer vacilo, costumo fazer "uma tempestade num copo d'água", como se diz por ai (rs...). Esquenta não, considero muito as pessoas, só isso. Melhor assim, menos mal, tudo fica esclarecido por mais insignificante que seja. Não o que perdoar, como você mesma disse. Obrigado.

      Excluir
  11. perfeito! tinham que colocar isto nas portas das universidades para termos mais cabeças pensantes andando por ai!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo amigo. Mas a sociedade não nos quer pensadores, questionadores... Nos quer cordeiros e pacíficos. Obrigado.

      Excluir
  12. Emocionante Fábio, muito aliás...
    Acredito em cada linha que li, e te digo, é o que tento seguir, apesar da exclusão, apesar de ser podado.
    Grande abraço!
    Continue a escrever coisas maravilhosas!

    ResponderExcluir
  13. Que palavras inspiradoras!..
    De fato, somos todos moldados em determinados padrões para vivermos nessa sociedade, e rompê-los seria uma forma de libertação; tornarmo-nos "loucos", em meio a tantas pessoas conformadas em viver de tal maneira à qual são submetidas sem questionar, seria uma forma de sobreviver!.. Seus poemas sempre trazem brilhantes reflexões.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, você captou perfeitamente a mensagem do texto. Obrigado elegante Vane. Abraços.

      Excluir
  14. Fábio meu amigo poeta .
    Hoje postei um texto meu queria muito ver seu comentário,
    pois de vez em quando rasgo aquilo ,
    que esta dentro do meu coração gritando.
    A minha felicidade amigo poeta é saber a opinião
    de pessoas como você.
    Com longos anos com blog procurei levar paz e muito amor
    costumo também falar do amor de Deus por todos nós.
    Eu passei e paço por momentos graves mais nada
    nesse mundo tira minha alegria e vontade de viver,
    com certeza na próxima postagem estará comigo
    na postagem.
    Foi fácil querer bem você sua simplicidade
    e belíssimos poemas fez de você um grande
    novo amigo.
    Tenho um lindo dia abraços , Evanir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será um prazer Evanir e uma satisfação fazer isso. Adoro visitar os blogs dos amigos e comentários, interagir.

      Excluir
  15. Bonito e oportuno, Fábio. Parabéns!

    ResponderExcluir
  16. Já disse que escreve divinamente? Muito lindo!

    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não lembro Késia (rs...). Você é uma simpatia. Obrigado.

      Excluir
  17. Que bom seria se todos fossem originais.....
    Venho conhecer seu espaço amigo poeta....
    Se quiseres conhecer o meu blog já está feito o convite,
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom seria Maria Selma. Será um prazer conhecer seu espaço, sempre retribuo as visitas. Obrigado.

      Excluir
  18. Olá, Fábio!

    QUE REALISTA!

    De facto, seu poema, está carregado de razão. andamos mascarados o ano todo, e não só no carnaval.

    Eu quase já tirei as máscaras, e já nem perco energias em tentar agradar ou me enquadrar. Estou ficando cada vez mais "jovem" e rebelde, também.

    Boa semana.

    Afetos e Cumplicidades. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Luz. Carnaval,agora me deixou curioso. Só nos permitem, só nos permitimos no carnaval. Achei interessante o que falou: "Eu quase já tirei as máscaras", De fato, nunca tiraremos as mascaras por completo, após anos de condicionamento. Obrigado.

      Excluir
  19. Feche os olhos e sinta a loucura que grita dentro de si e que somos obrigados a domar diariamente. Um pouco de loucura faz bem ao juízo, ousadia e impulso são ótimos para alcançar a felicidade. Solte o freio e viva suas vontades. E se não fizer mal a ninguém, muito bem fará a si mesmo.

    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem: "E se não fizer mal a ninguém, muito bem fará a si mesmo". Gostei, simples assim.Obrigado.

      Excluir
  20. Fábio, esse é para colar na geladeira, no espelho do banheiro, na porta do quarto, seja lá onde for, para que lembremos diariamente dessas palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa amigão, a quanto tempo! Pois já fiz algo parecido. Já guardei na carteira alguma mensagem edificante, colei na parede do escritório, prá consultar da de vez em quando, hora extrema de tomar decisões. Como placas de transito ao longo da rodovia. Obrigado Ulisses.

      Excluir
    2. De nada, Fábio! Realmente fazia um tempinho que eu não aparecia por aqui, mas sempre vale a pena voltar! Abração!

      Excluir
  21. Eu vou pelos poucos e bons! Ótimo, cara!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raul, por exemplo, maluco que era uma beleza (rs...). Valeu Anderson.

      Excluir
  22. Amigo Fábio arrasou nessa poesia, ficou muito harmoniosa...

    Beijos!

    Fernanda Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fernanda. Sempre amável. Um doce de pessoa.

      Excluir
  23. Não vá pelos outros, vá pelos loucos, vá por mim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou por você e não abro (rs...) Obrigado Claudinha.

      Excluir
  24. E assim canta Karina Buhr: "tá tudo padronizado, no nosso coração. Nosso jeito de amar, pelo jeito, não é nosso não".

    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Larissa, nos empurram goela abaixo. Obrigado.

      Excluir
  25. Corcordo e gostei de como escreveu.

    ResponderExcluir
  26. Respostas
    1. Obrigado Ana pela generosidade das palavras.

      Excluir