sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Da Incorporação do Corpo

O corpo tem suas exigências
E não se contenta com tão pouco...
De nossa moral e bons costumes
O corpo está isento e imune.
Indômito o corpo, no intimo,
Permanece atônito e insone.
Pois nunca estará extinto
O instinto do corpo.

Fábio Murilo, 15.05.94

32 comentários:

  1. Boa noite amigo Fábio...
    Gostei do seu poema, acredito que se fossêmos falar sobre as exigências do corpo, escreveriamos muitos poemas.
    O corpo a todo momento exige algo de nós,e às vezes até coisas que realmente desobedecem a nossa razão.
    Gostei muito de ler-te!

    Beijos!
    Fernanda Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada Nanda, o corpo é a matéria prima de todos nossos eflúvios poéticos. Quem melhor que nos mesmos para sentir nosso corpos, é nele que começa as sensações, as emoções, as percepções que se espalham para o mundo exterior, e retornam, dele e pra ele.

      Excluir
  2. N'a alma imoral Nilton Boner fala que o corpo é conservador e moral, regulador do sono, da fome e do sexo, enquanto a alma é imoral e transgressora das nossas entidades físicas e emocionais. Vale a leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado, Manuel Bandeira, nosso conterrâneo, diz ao contrario, Fred:

      ARTE DE AMAR

      Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
      A alma é que estraga o amor.
      Só em Deus ela pode encontrar satisfação.
      Não noutra alma.
      Só em Deus - ou fora do mundo.

      As almas são incomunicáveis.

      Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo.

      Porque os corpos se entendem, mas as almas não.

      Manuel Bandeira

      Excluir
  3. Gostei muito do título, que diz muito!
    O corpo é dono de instintos que não deveriam ser tão censurados por esses vendilhões da moral e dos bons costumes que se propõem a toda a hora, satisfazer um desejo de domínio sobre o outro. Existem cercas à volta do corpo, daí que muita gente deseje "saltar a cerca"...;-)
    O corpo não relaxa porque é escravo das leis que lhe são incutidas desde o nascimento, numa sociedade que sempre conspirou contra as leis do desejo.
    O racionalismo é uma negação da vida, por não ter em conta nem as emoções, nem o corpo enquanto ser de sensações, instintos e prazer.
    "É escusado sonhar que se bebe; quando a sede aperta, é preciso acordar para beber"( S. Freud) e " Somos feito de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro" (S. Freud)
    Desculpe a minha interpretação, muito livre, do seu belo poema, mas foi assim que eu o li...
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SENSACIONAL!!!! BRILHANTE!!!!, Falta-me adjetivos para classificar, definir seu comentário, que dispensa maiores comentários. Pare de pedir perdão Laura, eu que agradeço brilhante explanação. Você tem toda liberdade e sabe usa-la com propriedade. Adorei!!!. Você é uma mulher notável: verdadeira,autentica, corajosa. Fala de fatos, não de suposições, e frases feitas, do que convém ser dito sem se preocupar em infringir. Fala do que todo mundo sente e faz, ou tem vontade, sem admitir, e fingem que não sentem. E se presta inconscientes a guardiões dos "bons" costumes, da vida do outro,da moral duvidável, das patrulhas ideológicas. São fariseus a apedrejar Madalena, cheios de pecados e de Madalenas. Adorei!!!!

      Excluir
    2. É mesmo Mente Hiperativa. Boa sugestão. Assim a gente não precisava "chover no molhado".

      Excluir
  4. Gosto muito de te ler, e um dos motivos é que tem na tua escrita sempre algo que me faz refletir.
    É exatamente assim como no teu poema, nos somos enlaçados pela "moral e os bons costumes", mas o corpo está sempre ali, borbulhando e fervendo de instintos que são tão animalescos e tão naturais tão violentos e ternos, instintos sinceros.
    És ótimo, sempre ressalto porque é absoluta verdade.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso Nato. Vem dessas atitudes todo trauma, na negação dessa verdade, na violência que nos fazemos diuturnamente. É como fazer greve de fome. O desejo é uma realidade, a negação uma doença.

      Excluir
  5. O corpo exala desejos, vontades e sentimentos que a alma não mais consegue esconder.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra que tanta complicação né Dani. Alma, corpo, desejo, vontade de comer beber água, dormir... Pra que essa supervalorização do sexo. É uma coisa tão natural, uma grande brincadeira. A vida é essencialmente trágica. Existe o mar, existem as flores, existe o desejo, o prazer, antítese da dor, pra que doer o tempo todo e não aproveitar o lado bom da maçã.

      Excluir
  6. Hey Fábio passando só pra dizer que li seu comentário e logo publicarei alguma coisa no blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!!!! `Preciosa Jade! Faça isso bichinha, não se abandone, não nos abandone. Que bom saber de você.

      Excluir
  7. As exigências do meu corpo são as pinturas da minha alma. E nem todas as pinturas são acabadas.. algumas ficam pelo meio do caminho.
    Você escreve lindinho, eu gosto.
    Coloquei um comentário no vídeo do Edson.
    Um domingo de paz e algumas alegrias.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, minha eterna Garota Dourada! Soube que a Monalisa é uma pintura inacabada, sabia disso? E é tão linda! Leonardo da Vinci era um chato feito eu, perfeccionista, e vivia mechendo na pobrezinha até morrer. Só se ela tiver uma unha encravada, que não da pra ver, ela é perfeita, ninguém vê defeito, só ele via. Olha, comentário inspirado o seu hoje, gostei. Beijos!

      Excluir
  8. Poema sobre corpo e instinto postado no "dia do sexo". Coincidência? rsrs

    Muito bom ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só podia ser você Pri (rs...). É. É hoje. Mas hoje tem dia prá tudo. Era bom que fosse amanhã e feriado.

      Excluir
  9. Muito bom seu blog, virei um seguidor.
    Suas poesias são fortes, profundas, tocam na alma!
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Evandro pelos elogios, a inspiração é quem manda. Obrigado por me dar essa honra de me seguir. Farei de tudo prá merece-la.

      Excluir
  10. Respostas
    1. Obrigado amigo. Essencialmente poesia é isso, síntese. Incisiva ou não, como classificou.

      Excluir
  11. Simplesmente perfeito! Parabéns!!

    Danlirando

    ResponderExcluir
  12. Eu sempre me surpreendo com seus poemas. Me sinto até emburrecida diante de tanta complexidade e simplicidade distribuídas perfeitamente em seus versos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ester, mas não seja tão dura com você mesma, não faço nada de especial, faço o que todo mundo faz. Tem tanta gente boa, me acho até tão fraquinho, tão primário. Fernando Pessoa disse: "Não sou poeta faço versos", que nada, ele sim era um poeta de primeira grandeza, simples e completo e intenso, um ourives, um artesão da palavra. Visitei seu blog, você tem seu estilo próprio, tem estilo, somos iguais irmãzinha nem mais, nem menos, escrevemos, descrevemos nossa emoções, nossas razões de viver, ou resistir, insistir nesse exercício cotidiano de interagir com o mundo, de dar e receber.

      Excluir
  13. 19 anos se passaram e o seu texto continua lindamente atual. O ser humano é uma eterna busca de felicidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo... Nem havia notado Nina, sou ruim em matemática (rs...). Ah, sempre foi foi assim, ser feliz é tudo que se quer. Valeu MeNina.

      Excluir
  14. Respostas
    1. De nada Ricardo. Sejamos nós mesmos, apenas isso.

      Excluir