sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O GOSTO DO FRUTO PROIBIDO

Como posso chamar de imundo
Um mundo que é obra de Deus.
É como cuspir no prato que comeu.
Como posso exigir da carne
Se a carne é fraca,
E reveste um corpo imperfeito.
Perfeitos só os bichos
Em sua sã inconsciência.
Isentos do livre arbítrio.
De uma inteligência
Que lhes dê, a toda hora,
A consciência de sua finitude.
De sua imensa solidão cósmica,
Em busca de resposta,
Além imediata existência.

24.12.2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário