sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Fanatismo

Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão de meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

Tudo no mundo é frágil, tudo passa...
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, vivo de rastros:
"Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!..."

Flobela Espanca



2 comentários:

  1. Juro que escuto essa música direto e não sabia que era poema da Florbela!! Amo mais agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Karine!!! Que surpresa agradável, você por essas bandas! Pois é foi uma fase profícua da música de Fagner. Ele costumava musicar com competência e excelentes resultados poemas como Fanatismo, por você citado. Aproveitei lembrei-me de outro e postei (confira), vê se você já conhece da talentosa dobradinha Florbela/Fagner: Fumo. Tem Traduzir-se de Ferreira Gullar. E em minha opinião, a mais famosa: Canteiros. Eu ia citar anteriormente, mas depois que fiz, casualmente, uma pesquisa, descobri, na internet, que ele precisou fazer algumas adaptações. O Musico/poeta, salvo engano, Vinicius de Moraes achava que não ficava legal misturar: poesia é poesia, letra de música é letra de musica, realmente não me lembro de algum caso dele ter musicado algum de seus poemas, era até mais fácil, meio caminho andado. Ney Matogrosso canta a linda Rosa de Hiroshima, (Já aqui postado) poema dele (Vinicius) por alguém musicado e ficou Divino.

      Excluir