sábado, 17 de março de 2012

ELEGIA SUBURBANA

A cabeça fervilhando,
Cheia de planos,
O desejo infinito
De dar um grito: Eu existo!
Meu caminho é obscuro,
A incerteza mora atrás de um muro,
A realidade é mais do que nunca fria!
Meus dias são tingidos de melancolia,
Levo a vida aos trancos e barrancos.
Cansado finjo que não me canso
E sigo prá não me dar por vencido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário