sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Poema em Linha Reta - Osmar Prado

3 comentários:

  1. Aaahh; " E agora me desanca em verso!..." Precioso!
    Muito boa a encenação o "Poema em Linha Recta", que descreve muito bem a forma como certos seres se sentem reles e absurdos, e como outros se apresentam sempre de forma altiva e gloriosa. Toda a gente já sofreu decerto um enxovalho na vida, mas na verdade certas pessoas parecem passar incólumes entre as gotas de chuva, como se nada os afectasse e fossem seres superiores.
    Um poema sobre a vulnerabilidade que muito homens se recusam a admitir. Ser vulnerável é ser humano, faz parte... Somos todos tão deliciosamente ridículos!
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é comum. Diz-se por aqui: "Não gostar de mostrar fracassos". Não diria "passar incólumes entre as gotas d'água" Laura diria todo molhado e negar os fatos, ou dizer que foi outra coisa. Irritante esses tipos, presunçosos a toda prova.

      Excluir
    2. Tem razão Fábio, você disse muito melhor que eu!
      xx

      Excluir