sábado, 13 de agosto de 2016

Insone


A minha estrada
Cruzou com a sua
Agora somos sol e lua.

Amanheci e já não estava só,
Acordei no meio de um sonho
E não queria mais dormir.
Tantas vezes que sonhamos
E acordamos frustrados,
Apertando os olhos, angustiados,
Querendo retomar o sono.
Porque, a realidade que somos,
Já foi, um dia, a que não fomos.

Fábio Murilo, 13.08.2016

11 comentários:

  1. Singelo e tão terno, seu poema...
    Poxa, amei...
    Há sonhos que sobrepõem a realidade.

    Beijos Fábio!

    ResponderExcluir
  2. Poesia encantadora como a música que toca.
    Sonhos que chegam e nos transportam a um mundo em que desejamos que sejam reais.
    Gostei muito Fábio.
    Bjs e um Feliz dia dos Pais.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. Lindo!
    Feliz dia dos pais
    Abraços
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  4. Olá Fábio,

    Um encanto de poema!
    Quem nunca???
    Bela inspiração!

    Feliz semana!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Fábio, tantas vezes também eu quis retornar ao sonho, mas fiquei frustrada!
    'Porque, a realidade que somos,
    Já foi, um dia, a que não fomos.'

    Show!! Gostei muito. E essa música, 'Nocturne de Chopin' é uma das minhas clássicas favoritas! É meu calmante...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Um poema de entrega a realidade.
    Embora a lua nunca encontre com o sol
    e fica assim so na imaginação;
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Oi Fábio
    Linda poesia. O sol e a lua se amam, mas não podem se aproximar
    Saudades de você
    Estou doente
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  8. E como os sonhos aliviam a alma.
    Belissímo poema
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir