segunda-feira, 24 de julho de 2017

Simples


Meu carinho lhe cerca de cuidados,
É um ninho, abrigo, um afago.
É uma compulsão, quando vê...

É um cego tateando no escuro,
Mãos que precedem o aspecto físico
E enxergam o inefável, invisível.

Como respirar, comer, beber...
Entender não faz nenhuma diferença,
É instintivo, age-se sem perceber.

Fábio Murilo, 23.07.2017

18 comentários:

  1. Vanessa24 de julho de 2017 10:01

    Mais um belíssimo poema digno de ser apreciado, demonstra a devoção que uma pessoa tem por outra, mas ao mesmo tempo leveza nos sentimentos.
    Tenha uma maravilhosa semana!

    ResponderExcluir
  2. Você deixou muito claro que amar é simples, nada enroscado!
    Gostei muito pela simplicidade das coisas. É o que é.
    Beijo, Fábio, uma boa semana!

    ResponderExcluir
  3. Excelente! Amei
    A imagem é fantástica!

    beijinhos, Fábio

    ResponderExcluir
  4. Boa noite, Murilo.
    Assim é o amor.
    Poetizou sem falar sobre ele, contudo, está inserido em cada verso.
    Gostei muito.
    Tenha um dia de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  5. Terno, apaixonado e belo poema
    Bom fim de semana
    Um abraço
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  6. Fábio,

    Belo poema e imagem que acompanha,
    o simples e transcendente (mágico...) amor!...
    Boa semana e grata pela visita, poeta!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. poema em completa cumplicidade
    gostei!
    obrigada pela visita
    boa semana.
    beijinhos

    :)

    ResponderExcluir
  8. sempre belissímo!
    abraço profundo. paz.

    ResponderExcluir
  9. Bom estar aqui...

    Aconteceu um probleminha com a lista de blogs que eu sigo, por isso estou seguindo de novo.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  10. Que bom voltar aqui e me deparar com tamanha genialidade em versos tão fluídos que só um grande poeta poderia tecer.

    Parabéns Mestre!

    ResponderExcluir
  11. Tua sensibilidade é um mistério,
    É uma força viva que foi dada
    Por Deus, para sigas na jornada
    Fazendo versos como algo etéreo

    Que no espaço está não por aéreo
    Mas por ser luz a iluminar a estrada
    De palmilhar sonhando com mais nada
    Que a beleza da vida que é o mais sério

    Compromisso que tens com a poesia.
    Por isso, Fábio, creia, eu de diria
    Que a luz do mundo está por tua sorte

    Não a morrer, mas para ser um dia
    A luz maior que cresce e alumia
    A poesia sem que haja morte.

    Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  12. Lindo, Fábio!
    Cuidar de quem nós amamos é inevitável.

    Beijos!
    Blog: *** Caos ***

    ResponderExcluir
  13. Oi, meu amigo, vim ver o que você tinha de novo...
    Beijo, uma feliz semana!

    ResponderExcluir
  14. Este carinho é tudo, sim!
    E necessário!

    LINDA POESIA

    abraço
    Lola

    ResponderExcluir
  15. Boa tarde, Murilo.
    Vim te ver, só que já havia comentado aqui.
    Espero novidades.
    Tudo de bom.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  16. Fábio,não havia visto essa sua publicação,foi quando eu estava viajando.
    Lindo poema de amor.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  17. Queremos indepedência: pagar as próprias contas, morar só, voltar tarde sem dar explicação, daí começamos a amar e o plano se desfaz. Voltamos a ser reféns de novos seios, novos colos.

    ResponderExcluir