quarta-feira, 4 de abril de 2018

Os Apagados


Os sem graça fazem uma força danada
Um esboço, um esforço, uma farsa,
Nos seus risos forçado pra agradar.
Um mar sem onda, nem sal, sem nada.
Sem a tradicional cor azulada, da água.
Um rio qualquer, um riacho sombrio, um fio.
Chuva de verão querendo alagar.

Uma paródia, caricatura de si próprios.
Vivem a representar e nem se tocam.
Sem noção, confiantes que tão abafando.
Contando piadas sem graça, sem jeito,
Forçando a barra, sendo o que não são.
E ainda encontram malvados que os aplaudam
 Só pra não deixá-los sem jeito, sem graça,
 No vácuo, acreditando que são os caras.

Em vez de interessantes, são irritantes,
Desengonçados, sem jeito, aguados.
Teria mais proveito se fossem eles mesmos
Ganhariam mais, ao se convencerem
Que todo mundo tem o que oferecer.
Todos têm uma particularidade, um charme.
Um trejeito, algo nele pra ser admirado,
Um encantamento que não havia notado.
 
Fábio Murilo, 01.04.2018

6 comentários:

  1. Muito bom! Instigante!

    Beijo e um dia feliz

    ResponderExcluir
  2. E existem pessoas assim amigo Fábio,sem sal e sem açúcar,desajeitados pensando que são os tais.
    Adorei ler.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Fábio, como vai você?
    Bem, exite gente de todo tipo, têm aqueles que por timidez abusam um pouco nas gracinhas e se tornam cansativos; Têm aqueles que se acham realmente a cocada, e cansam por tudo que não conseguem, mas gostam de aparecerem. Tem os que se acham inteligentes e os outros servem para seus pupilos... enfim, Fábio, topamos com vários tipos que pensam que são e não são! E esses são bons para ficarem longe. O bom é gente que não se acha nada, são como são, gostam, não gostam; erram, acertam; mas são educados e carinhosos. São gente normal, sem esforço algum!
    Beijo, amigo! Um bom fim de semana. Gostei de ler esse teu poema tão natural.

    ResponderExcluir
  4. Levantei-me da cadeira em magistral aplauso. Brilhante este poema.
    .
    Poema: "" Desígnios da Vivência. ""
    .
    Um dia feliz. Cumprimentos

    ResponderExcluir
  5. Excelente, Fábio!
    Lamentavelmente, cada vez conhecemos mais pessoas que se julgam os maiores. Não passam de aguados, como tu dizes. Pobres de espírito, digo eu.
    Beijo e bom domingo.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que poema mais atual e que me fez refletir sobre diversas situações do dia a dia. Sabe quando lemos algo que nos faz ir no intimo de nossas almas e vivências? Infelizmente, as pessoas não são mais autênticas, querem ser algo que não são, se encaixar em padrões, seguir as tendências... Nunca achei isso algo admirador embora muitos engrandeçam certas condutas. Lindo seu poema, gostei muito da forma como passaste a mensagem.

    Abraços poeta!

    ResponderExcluir