sexta-feira, 20 de junho de 2014

Motivação


Ajuda-me a fazer um poema feliz.
O poema é quem diz
E nada a gente diz ao poema.
Um poema tem raízes profundas,
É arvore fecunda e frondosa,
E tem rosas, mas antes é semente.
Para o desespero da gente
A gente sente, mas não manda.
Só espera paciente
A germinação dos versos
Libertos do chão.

Ajude-me a fazer um poema,
-me a inspiração.

Fábio Murilo, 20.06.2014

38 comentários:

  1. Lindo poema Fábio.
    Você brinca com as palavras.Parabéns.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Fábio

    Este sem motivação, ficou maravilhoso. Adorei

    Bom fim de semana
    Beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Fábio.. vejo desta forma tb.. o poema se faz, nós apenas o colocamos no papel.. somos canais de luz para deixar coisas belas.. abraços amigo de versos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É já tive essa sensação, Samuel, como se ele tá viesse pronto. Comigo é assim, sai de uma vez. Apenas depois, no máximo, lapido os versos, rs... Obrigado.

      Excluir
  4. Ame e você criará um lindo poema.
    Beijos, Fábio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É certamente a maior e mais forte inspiração do mundo, obrigado Shirley.

      Excluir
  5. Muitas vezes dá uma agonia em ver a folha branca, sentir a falta da ideia... onde estão as ideias? A própria falta de ideia, a agonia, já pode dar um texto, um poema, um conto. Não é criativo? Até uma folha em branco pode motivar, se estivermos dispostos a recebê-la... Nasce a motivação!
    Beijo, menino de ouro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa... Deixou-me sem palavras, perfeita, menina de ouro. Dizer mais o que...

      Excluir
  6. Sou como turista, sempre acho novidades na sua "terra", sempre acho tudo lindo no seu "lar", no seu "canto", no seu "cantar", no seu "falar", palavras novas sempre me fazem "turistar" em seus pensamentos como se viesse sempre pela primeira vez.
    Lindo poema verdadeiro... Identifico-me nele.
    bjs
    att.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu inspirado comentário foi um poema. Obrigado, Claudinha. Beijos!

      Excluir
  7. Dei-me sua alma
    Dei-me aqui
    deixe que eu a induza
    a se inspirar e existir.
    Borá?

    ResponderExcluir
  8. Que lindo poema... Que lindo o que ele nos diz.
    Ficou muito belo, Fábio. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carolina. Que houve com seu blog? Tou indo lá e tá sem postagens?

      Excluir
    2. Tinha revertido todas as postagens do blog para rascunho, devido alguns problemas, mas já está tudo normalizado, Fábio. ^^'

      Excluir
    3. Já fui lá e deixei meu comentário, Carolina.

      Excluir
  9. Respostas
    1. É assim, seguindo todos esses passos, essa é a formula secular. Obrigado, Daniel.

      Excluir
  10. Oi Fabio,
    Belo poema. Gostei. Os meus são efêmeros, lúdicos.
    Mas sei que uma musa ou um muso(eu que inventei essa palavra)
    sempre serve de inspiração.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que tá Bandys, dizem que poemas feitos os seus é que são verdadeiras obras de arte, pois você, pelo que entendi, inventa momentos felizes, amores, romances, enquanto eu, só faco transcrever, sou escravo da realidade. Você que é feliz garota, se as coisas existem, tudo bem, se não, inventa. Beijos!

      Excluir
  11. Fabio , a algum tempo não tenho aparecido no seu blog,
    que conheci por recomendação da Patricia.
    Meu querido..gosto muito dos seus poemas vejo que escreve com o coração
    deixa marcas de amor por tudo que passa para quem tem a felicidade de ser seu amigo.
    Um abraço e feliz semana.
    Evanir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, amiga Evanir. A amiga Patricia é uma excelente pessoa e você também. Obrigado pelos elogios. Abraço e um feliz final de semana pra você também.

      Excluir
  12. Tu não precisa de inspiração não, guri...
    A poesia é que precisa de ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh!!!! Obrigado, Guria! Que bom ouvir palavras tão estimulantes.

      Excluir
  13. É admirável apreciar a sua fertilidade poética, Fábio. Encanta-me contemplar a sua alma em erupção, jorrando belos textos, criações que arrebatam, enternecem. Adorei a sutileza e a leveza que adornam o poema. Mais uma vez, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Lu, pelos inspirados elogios. Sinto-me lisonjeado.

      Excluir
  14. Estou encantada com seus versos! A poesia está a viver dentro de ti...Bjs =*

    ResponderExcluir
  15. Seu belíssimo e inspirado poema, remeteu-me ao eminente poema "Procura da Poesia" de Drummond, principalmente a esse seguinte trecho:

    "Penetra surdamente no reino das palavras.
    Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
    Estão paralisados, mas não há desespero,
    há calma e frescura na superfície intata.
    Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.
    Convive com teus poemas, antes de escrevê-los.
    Tem paciência se obscuros. Calma, se te provocam.
    Espera que cada um se realize e consume
    com seu poder de palavra
    e seu poder de silêncio.
    Não forces o poema a desprender-se do limbo.
    Não colhas no chão o poema que se perdeu.
    Não adules o poema. Aceita-o
    como ele aceitará sua forma definitiva e concentrada
    no espaço."

    Só para avisá-lo, eu alterei o link do meu blog, acho que agora ele está mais condizente com o que tento propor lá, espero mais visitas:

    http://omundoemcenas.blogspot.com.br/

    Grande Abraço Fábio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Victor Costa, conheço esse poema, muito significativo a respeito processo criador, é assim mesmo.O poeta Carlos Drummond, meu poeta brasileiro preferido, foi muito feliz. Obrigado.

      Excluir
  16. Boa noite Fábio!
    Os bons poetas são assim: qualquer objecto, um assunto vulgar...servem de inspiração e a obra saí perfeita e bela como este seu poema. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, é surpreendente mesmo o processo criativo, tudo é motivo pra compor o poema, até a falta de motivo é um motivo, como disse a acima, Tais Luso. O poema é quem manda. Obrigado, Maria Emilia.

      Excluir
  17. Boa tarde, Fábio. Eu nem acredito que cheguei aqui, rs.
    Somos nós quem ficamos esperando com que o poema tome conte de nossa alma e mente, a fim de a caneta apenas deslizar no papel branquinho, ou na tela do PC, tão branca quanto.
    Não somos nós os donos de nada, é a poesia a nossa raiz, a nossa derme, apresentamos o que ela nos diz com muito amor, somos reféns gratos de seus versos e isso é muito bom.
    Tenha um abençoado mês de paz!
    Amei o poema.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. As vezes a falta inspiração pode ser a inspiração, são os caprichos da criação. Obrigado, Pat.

      Excluir
  18. A inspiração é algo que flui naturalmente.
    É muito interessante... ascende uma lampadazinha irradiando palavras... As situações pela qual estamos passando também é um combustível para o coração dar a luz a grandes inspirações.
    Escrever por inspiração é algo incrível.
    E diferente de escrever profissionalmente .
    Ficamos a mercê da dona Inspiração...
    Uma vez escrevi um texto que dizia, que o poeta escreve até quando lhe falta inspiração... Então... se encaixou em ti
    Fábio. Belo poema.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom, Fê! Comentário inspiradíssimo, inclusive. Descreveu muito bem o processo da crianção. A própria falta de inspiração pode servir de tema, basta usar a imaginação. Ou como se diz popularmente, "Se a vida te der um limão, faça uma limonada". Obrigado. Beijos!!!

      Excluir