sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Cíclico


Você tem a medida perfeita da beleza,
Você é essa beleza a eclodir do âmago
Em telúricas evoluções vulcânicas.
Mesmo a tristeza não consegue apagar
Seu brilho de sol difuso em dias sombrios.
Mar onde deságuo, misturado rio,
A me tornar acrescentado, vaporoso,
E retornar chuvoso e voltar a ser rio.

Fábio Murilo, 09.10.2013

40 comentários:

  1. Texto belíssimo numa imagem divina...Amei!

    Sábado feliz, beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. E a beleza dos ciclos está nisso de podermos perceber e nos auto analisar que mesmo mudando, a nossa essência permanece constante para onde tendemos voltar.
    beijos.

    ResponderExcluir
  3. Fluente e com bom uso do vocabulário. Poesia de verdade.

    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber disso de um sonetista, sinto-me lisonjeado. Obrigado, Marcos.

      Excluir
  4. Existem essas pessoas que transportam consigam, seja na alegria ou na tristeza, no deslumbramento ou na assombração, a beleza intrínseca que as constitui.
    Costumo dizer que quem é belo, será sempre belo,e todo o homem que ame a sua mulher desaguará nela feito mar e renascerá sempre a partir do rio que sempre foi.
    Ela será sempre a sua foz.
    Muito belo, Fábio!
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disseste muitíssimo bem. Sempre muito sutis e sensíveis teus comentários, Abraços, Laura.

      Excluir
  5. Uma perfeição seu poema Fábio... Lindo post!
    Gostei de ler-te!

    Beijooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nandita. Own... Obrigado, visse? Beijos pra ti também.

      Excluir
  6. Fantástico!
    Muito bom, mesmo.
    Parabéns, Fábio. Não deixemos que a poesia morra.
    Abraços do Girotto.

    O Poeta e a Madrugada

    ResponderExcluir
  7. Que lindo Fábio!

    Amei isso:
    "Seu brilho de sol difuso em dias sombrios.
    Mar onde deságuo, misturado rio,
    A me tornar acrescentado, vaporoso,
    E retornar chuvoso e voltar a ser rio."

    Beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Woow! Muito bom! Que belo poema ao ego da pessoa amada...

    Abração

    ResponderExcluir
  9. O que me comove aqui é a grandeza do poeta.
    Algum tempo atras eu perguntei porque poesias tão antigas...
    E hoje eu vejo suas poesias com outros olhos.
    Essa é uma das mas belas que ja li, tudo em sintonia
    musica,imagem e a beleza do poeta.
    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa... Que comentário, garota! Legal, generoso, motivador. Agradecido por tudo que disse. Obrigado, visse. Beijos!

      Excluir
  10. Que sensação maravilhosa , de alma aberta, poder se jogar nesse mar...
    Lindo, Fábio!
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah é, Shirley. Mar(aravilhosa) sensação, concordo. Beijos!

      Excluir
  11. Oi Fábio,

    Lindíssimo seu pequeno/grande poema.
    Pessoas especiais e de essência luminosa são capazes de produzir este efeito lindamente versado naqueles que as amam da maneira como o poeta exaltou.
    Adorei demorar-me aqui, ouvindo esta bela música.

    Feliz semana.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vera, obrigado. Concordo com tudo que maravilhosamente disse, é exatamente isso. Pois é, gratificante encontrar alguém assim, uma verdadeira bênção, prêmio. Merece todos os elogios e versos. Abraços!

      Excluir
  12. Tudo tem o seu ciclo, já se espera por isso, como muita coisa tende a retornar ao princípio, até nós retornaremos 'a pó'. Báh, fui dramática demais! Mas é o que me veio lendo “Cíclico”. A poesia tem disso, Fábio, a livre interpretação... E gostei muito!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, visões pessoais, enriquece. Isso que é o legal. Beijos, Tais.

      Excluir
  13. Olá, Fábio! Nessa renovação ciclo a ciclo vamos crescendo, mesmo que às vezes, a golpes dolorosos. É na beleza do processo que podemos enxergar que há beleza na vida. Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Infelizmente, minha vida está uma correria sem fim e por isso quero pedir desculpas aos amigos, pois estou sem tempo para postar e para visitar os blogs que tanto estimo.
    Em breve entrarei voltando à normalidade.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há do que, Ani. O importante é a consideração. A atenção dispensada, fica bem. Beijos!

      Excluir
  15. Olá Fábio
    A beleza está contida nos olhos de quem ama.
    Adorei sua poesia bem clássica, não escrevo assim, pois meus mincontos são populares. Gosto porque atinge até os intelectuais, assim como você.
    Amei a imagem que veio abrilhantar seus escritos poéticos.
    Beijos no coração
    minicontista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que? Dorli! rs. Que nada. Bondade sua. Coisa comum, não se subestime. Beijos!

      Excluir
  16. Sabe aquela sensação de que o poetizar sempre tem algo a nos revelar na sua grandeza... Eis ai a prova de que o poetizar vai muito além da existência de um simples parafrasear...
    Muito lindo texto a descrever de forma sutil e poética aquilo que exprime o amor em si...
    Grande abraço meu amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, amigo, pelas gentis observações. Abraços

      Excluir
  17. Lindo, lindo, lindo!
    Sua poesia sempre encanta o coração.
    Um abraço caro amigo, Fabio Murilo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Maria Tereza. Bom saber, fico feliz. Abraços!

      Excluir