sábado, 31 de outubro de 2015

Toda Ternura Do Mundo


Esta noite enviarei uma estrela para iluminar teu quarto.
Ou um sol portátil no lugar, se tanta luz ainda faltar.
Ou uma porção de vaga-lumes, intermitente lume.
Embora, talvez nem precise tanto, baste um pouco de luar.

E uma brisa marinha a segui o ar farejando,
Pra refrescar os cômodos, se não for incomodo soprar.
Nesse lugar perdido, teu exílio e abrigo, no 2º andar.

Mágico espetaculoso, guardião zeloso, fiel escudeiro,
Tudo em mim a se desvelar e a soprar-te um beijo!

Fábio Murilo, 27.10.2015

42 comentários:

  1. Muito bonito!! Adorei


    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Que lindo poema, Fábio, tão doce! A lua é algo que nunca perco a oportunidade de parar e observar... dar de presente a quem é importante para nós, em forma de luz, junto com uma brisa, é um carinho etéreo e se extrema sensibilidade. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Bia. Sempre tão gentil. Abraços!

      Excluir
  3. Bom domingo um feriado tranquilo e uma semana
    de muita paz, passando pra deixar meu abraço um
    bjão...Venha me visitar para concorrer um sorteio de Natal

    Agradeço bela amizade tão querida!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Rita. Tá feito o convite. Abraços!

      Excluir
  4. De todas as luzes a enviar, sem dúvida a luz do luar, e se possível
    um pouco de brisa marinha para refrescar e perfumar o ambiente.
    Mas o mais importante será o beijo que a alma e o corpo iluminará.
    Que lindo poema, Fábio! Verdadeiramente mágico.
    xx

    ResponderExcluir
  5. Muito bonito, Fábio, nesse clima também penso que a luz do luar fica mais propício. Poema meigo, Terno como o poema em si, cheio de expectativas. Gostei muito!
    Beijo, bom feriado!

    ResponderExcluir
  6. OI FÁBIO!
    MUITA TERNURA MESMO EM TEU POEMA, LINDO.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cê, acha? rs. Pois é. Faz parte. Abraços, Zilani.

      Excluir
  7. Ter esse poema como presente é realmente toda a ternura do mundo.
    beijos.

    ResponderExcluir
  8. Que lindo Fábio...

    Vou ficar esperando pelo menos o brilho do luar...

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  9. A lua é sempre inspiradora e mágica! Assim como esse poema.

    ResponderExcluir
  10. Todo o coração num beijo só. Intenso, demorado.
    Maravilhosa poesia.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Quando se tem a musa o resto fica facil.
    Ainda bem que sou feita de pó de lua,
    e por onde passo eu brilho.
    hahahaahahah
    Boa noite moço.

    ResponderExcluir
  12. Oi Fábio,
    Num mundo de dissabores ainda consegue poetizar o amor
    Beijos no coração
    Minicontista2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, justamente, extremamente oportuno, nesse mundo que se refere ai, que devemos, que dá mais sabor poetizar o amor, como heróis da resistência, como um alivio imediato, um alento, força motivadora, para que não perecemos, para que sonhemos, e esse mundo ainda tenha jeito, uma face humana. Beijos, Dorli.

      Excluir
  13. ... que inspiração linda, Fábio!
    Como deve ser bom, ter um guardião zeloso assim...
    Com tanto amor, cuidado e romantismo...

    Beijo no coração!

    ResponderExcluir
  14. Que romântico, Fábio!
    Um poema lindo, doce e ternurento, que traduz uma alma extremamente sensível.
    Um tanto de luar já seria maravilhoso, ainda mais acompanhado de uma brisa marinha.
    Adorei!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. O conheço e ao que escreve
    acompanhei suas indecisões de vida
    e me afastei sem o pretender fazer. Aconteceu...

    Hoje o encontrei e de novo gostei do que escreveu!

    Romântico é o seu estar num mundo.em convulsão. Amei!

    Maria luísa

    ResponderExcluir
  16. Essa noite, vou ficar de olho no segundo andar...rs.
    Gostei, muito bonito, Fábio.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. É isto aí, poeta, ame, ame profundamente, e manda todos os raios de luar para iluminar a noite da tua princesa, e se vagalumes acompanharem, ainda melhor, pois imagina só um quarto todo bordado de raios de luar com delicadas luzes a piscar enfeitando ainda mais o ambiente... Imagina! Pois eu imaginei e deu até para sentir a felicidade assomando o coração dessa tua amada, inebriada com tanta ternura. A brisa marinha a refrescar os cômodos, complemento perfeito, e quando o teu beijo chegar... Ah, ai já é uma outra história (risos).
    Meu querido, adoro tudo que escreves. Sobre o poema anterior, tens toda a razão, pois emoção é coisa imprevisível, um dia uma alegria até sem um motivo aparente nos assalta o coração, no outro já nos sentimos perdidos, tristes, acabrunhados. E o bom da vida é justamente esta incoerência que nos faz valorizar ainda mais os momentos onde estamos felizes.
    Deixo-te sorrisos, menino lindo, muitos, infinitos, para também abrilhantar o olhar da tua amada que junto ao teu faz o mundo se tornar um lugar lindo para se viver.
    Ficam estrelas no meu carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas... Você escreveu uma poesia, Helena, rs. Carinhoso abraço!

      Excluir
  18. Que título tão apropriado para o seu belo poema, Fábio!
    "Toda ternura do mundo"...
    Sim. Toda ternura do mundo em poema.
    Lindo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É. Que bom que tenha gostado. Confesso que me preocupo muito com títulos, resumem toda obra, são convidativos. Títulos são importantíssimos! Abraços!

      Excluir
  19. Lindo poema Fábio!
    Ele me fez pensar em uma pergunta que já me fiz tempos atrás...
    De onde vem a inspiração dos poetas?!...
    Hoje eu já sei a resposta...
    Ela é reflexo de suas lindas almas, expostas em poesia!!!...

    Beijos mil

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir