sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Vivenciando


Temos duas vidas, uma real,
Outra idealizada, pretendida.
Façanha é acontecer o sonho,
Criar atalhos, alternativas.
Cavar raízes, imprevisíveis,
Nessa existência rígida, galgar
Abismos, muros intransponíveis.

Com os anos vamos revendo
Certos conceitos, mudando,
Adquirindo um certo tino.
Cuidando em viver, considerando
A virada da maré, ao que vier,
Por mais improvisos à prejuízos.
                             
Fábio Murilo, 10.11.2015

32 comentários:

  1. Fábio, Lindo, lindo!!

    Beijo e um sábado feliz.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Entre a vida real e a idealizada; a que não vivemos, existem pontes e também altas paredes. O segredo é, através do sonho, criar atalhos para a melhor forma de trepar as paredes e atravessar as pontes.
    O tino que adquirimos com a idade não passa por vezes de desistência e comodismo, de um conformismo preguiçoso. Porque os ideais também dão muito trabalho, e correr uma vida inteira atrás deles sem resultados também cansa!...;.)
    Belo poema, Fábio.
    xx

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Fábio, viver é uma façanha e precisamos ter jogo de cintura sempre.
    Muito bom o seu poema!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, Shirley, ou como dizem, "a rapadura é doce mas, não é mole" rs. Beijos!

      Excluir
  4. Oi Fábio, eu fiz muita façanha, agora não faço mais nada. Corpo adoeceu.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quer isso, fica boa e pronta pra outra, rs. Beijos!

      Excluir
  5. É difícil viver sem sonhar, sem idealizar, e muitas vezes queremos o inatingível. Mas há uma diferença enorme entre o sonho e a realidade. A vida é chão, nos dá a realidade. Os sonhos, não passam de fantasias distorcidas na nossa mente. Mas veja, a vida nos presenteia com coisas boas, também. Mas somos um saco sem fundo, nunca é o bastante. Por isso que as frustrações chegam a galope.
    Beijos, Fábio! Sempre com temas que nos fazem pensar, menino de ouro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vida seria insuportável se não tivéssemos o alento, a respectiva da esperança, se não esperássemos alguma cosia além do imediatíssimo instante. Que sabe? Beijos, Tais.

      Excluir
  6. Altamente reflexivo, profundamente contemplativo, poeticamente rico, facilmente memorável... É Fábio, classificar-te como um artista me parece injusto, pois nem um artista é tão constante. Tu és poesia puríssima e sabedoria inesgotável.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, obrigado, pelo elogio imerecido, que nada, rs. Se Pessoa disse isso: "Não sou poeta faço versos..." eu não direi um inverso. Apenas faço o mínimo de esforço, faço o que posso pra agradar. Já admiro tu, a facilidade com que devolves um texto em prosa, muita imaginação e conhecimento. Muito culto, Vitor. Abraços

      Excluir
  7. Olá Fábio,

    Penso que na maioria das vezes idealizamos demais ou sonhamos alto demais, o que nos conduz a frustrações. Até para sonhar temos que ter bom senso, ou seja, sonhar o viável. Por isso, acabamos tendo estas duas vidas a que você se refere: Realidade x Sonhos inatingíveis. Sonhar é a nossa mola propulsora e quando idealizamos algo palpável, não há muros que sejam intransponíveis. Aí, a façanha acontece e o sonho se transporta para a realidade.
    A vida pretendida, quase sempre, é fantasiosa. Mas fantasiar também alimenta os sonhos.
    A maturidade muda nosso olhar sobre a vida. A acomodação ou falta de disposição para ousar acaba induzindo as pessoas a aceitarem a própria vida, mesmo que não corresponda àquela que pretendia viver.
    Bacana! Um poema filosófico.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito lúcido, teu comentário, Vera, gostei!

      Excluir
  8. Uma boa reflexão.
    Achei bem voce, parece que você escreveu pra voce.
    Eu que acompanho seu blog faz tempo,
    comparo com algumas poesias do passado.
    No caminho se vivencia varias realidades e fantasias.
    Beijo moço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tinha pensado nisso... Boa observação, como no passado. Mas eu nunca deixei esse tipo de preocupação, essa reflexão existencialista. Boa, Garota! Beijos!

      Excluir
  9. Galgar nossos sonhos, acredito ser a maior façanha de que somos capazes.
    Gostei muito. ♥

    ACESSO PERMITIDO.
    www.acessopermitido.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, Elcimar. Uma grande conquista. Obrigado, abraços!

      Excluir
  10. Bela reflexão, Fábio! Todos temos sonhos, idealizações que projetamos para o futuro.. Algumas coisas descobrimos que não eram tão viáveis.. mas há outras que podemos ainda buscar realizar, afinal o que somos sem nossos sonhos e anseios?

    Tenha uma linda tarde :)
    Um forte abraço..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem, Vane. Os sonhos são como os faróis, acenando possibilidades, os sonhos enquanto projetos, germe de realidades. Obrigado, abraços!

      Excluir

  11. ''Com os anos vamos revendo
    Certos conceitos, mudando,
    Adquirindo um certo tino.''

    Gostei de ler teu poema Fábio..

    Na verdade é bem isso..

    Beijos meus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, companheirinha, é mesmo. Obrigado, visse. Beijos!

      Excluir
  12. Há sempre vicissitudes além do nosso sonho, mas é importante sonhá-lo :)

    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Daniel. Quem procura, acha. Abraços!

      Excluir
  13. O título nos direciona a pista da vida, é vivenciando
    todos os conflitos (dentro e fora), os sonhos possíveis
    e os impossíveis também, criando caminhos próprios,
    construindo raízes e voos...
    A poesia é um grande voo,
    gosto do seu voo poético, Poeta!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Os sonhos fazem parte da vida, uns realizam-se outros o tempo os leva.
    Belo poema.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  15. Oi Fábio,
    Acabei de me formar pedi meu primo em casamento, sabia que ele gostava de mim e em quatro meses estava casada morando numa linda metrópole, fiz vários concurso e saía de um e ia onde ganhava mais.
    Não tive filho, adotei depois de muitos anos.
    Sempre fui inconstante, não gostava do fácil, quando mais difícil, era mais estudo.
    Assim é a vida, cada um é de um jeito.
    Beijos no coração
    Lua singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, claro... Tem uma vida invejável de coragem, superação e grandes conquistas, orgulhe-se disso! Trajetória de vida exemplar, parabéns! Beijos!

      Excluir
  16. Ter duas vidas é algo mais comum do que imaginamos, eu acho...
    Acontece que muitos não sabem identificar isso...
    Lino poema Fábio!!!
    Beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É. Uma real e uma desejada, idealizada, essa a mais querida, dfai numa eterna insatisfação. Beijos, Lilly.

      Excluir