sexta-feira, 8 de julho de 2016

A Escolhida


Mesmo não estando aqui eu te possuo, 
Intuo na ansiedade, na ausência sentida.

Mesmo não estando comigo, ainda és minha,
Nessa ausência invertida, que só reafirma.

Na razão oposta a realidade faço planos
De não ser apenas um, sermos ambos.

Que nada mais importa que aconteça,
Quando não se comporta de tanta certeza.

Fábio Murilo, 04.07.2016

11 comentários:

  1. Excelente poema. Adorei :-) Parabéns Fábio.

    Beijo e um sábado feliz

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Sim, a dúvida é mais produtiva que a certeza.

    =)

    ResponderExcluir
  3. Na razão oposta a realidade faço planos
    De não ser apenas um, sermos ambos.

    Nada como escolher e ser escolhido. Ou melhor, o escolhido também a nós escolher... para ser esse ambos muito melhor.
    Olá
    =)

    ResponderExcluir
  4. Um poema de excelência em que o poeta canta para
    amada (a escolhida), o seu chamado de amor.

    Abraço, Fábio.

    ResponderExcluir
  5. OI FÁBIO!
    QUANDO A AUSÊNCIA PASSA A SER APENAS UM DETALHE NA CONSISTÊNCIA DE UM GRANDE AMOR.
    ACHEI LINDO, AMIGO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Lindo cântico de amor!

    Beijos no coração!

    ResponderExcluir
  7. Esta certeza daquilo que se quer, daquilo que se deseja e daquilo que se tem é que torna o sentimento único, belo, inconfundível.
    Um belo poema, meu amigo, com a marca do poeta que sabe despetalar emoções em versos tão contundentes.
    Sorrisos, sempre, e estrelas no teu olhar.
    Com carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
  8. Está aí um sentimento de paz: certeza!
    Triste e inconcebível viver na dívida.
    Beijos, Fábio!

    ResponderExcluir
  9. Sinto falta de quando escreviam assim pra mim.
    Eu era mais feliz.
    Se a fonte da tua inspiração não sabe, deixa-a saber.



    Existe um mundo de negritude aqui e isso é falta de amor... lindo

    ResponderExcluir