domingo, 12 de fevereiro de 2017

Entendimeto


Você me dá o sonho e eu te elejo razão de viver,
Você me traz a água e eu te dou a sede.
Crede que é assim que eu te vejo, almejo.
Vede a vida sem ti não tem nenhum lampejo.
Vejo ninguém por perto, enfim, em mim,
A vida é só recomeço que se acaba em ti.

Aprendo de ti, como as flores aprendem do sol,
Compreendendo-o desde os ramos na fotossíntese.
E nos damos tão bem, como o ômega e o âmago.
Prendo-me a ti por um fio tênue, mas, tão resistente
Como linha que suspende o pescado aos anzóis.
Tu me compreendes como eu a mim mesmo.
E eu te compreendo com tu a ti mesmo.
Tão bem nos compreendemos nós.
  
(Fábio Murilo, 12.02.2017)

7 comentários:

  1. Que linda essa compreensão entre dois seres que se amam.
    Maravilhoso poema Fábio.
    Adorei.
    Bjs e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo, um louvor ao amor no espaço mais
    nobre da cumplicidade!...
    Um domingo feliz para ti, Poeta!
    Bj.

    ResponderExcluir
  3. Você me dá o sonho e eu te elejo razão de viver

    Muito bonito, Fábio, amar tem de ter uma sincronia!
    Beijo, amigo!

    ResponderExcluir
  4. A poesia morrendo
    Vem ressuscitar de ti.
    No lindo poema eu vi
    Um nascimento estupendo.

    És um poeta colendo
    Que poetisa por si
    Como demostras aqui
    Do jeito que estou vendo.

    Cante teu canto com encanto
    Um canto que eu gosto tanto
    Por dar voz à poesia.

    Eu silente do meu canto
    Vejo a beleza com espanto
    Nascer do teu dia a dia.

    Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  5. O amor é isso mesmo, um complementar do outro, é o encaixe.

    Lindos versos, como sempre tão bem trabalhados.


    Beijos e ótima semana!

    ResponderExcluir
  6. Fantástico, como sempre! Adorei. Parabéns Poeta!!

    Beijos e uma excelente semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  7. Que maravilhoso entendimento.
    Belíssimo poema
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir