quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

ANIVERSÁRIO NO SUBÚRBIO

Desde o momento que acordamos,
Concordemos, a vida passa...
A vida escorre dos dedos distraídos,
Minutos preciosos são perdidos,
Para sempre desperdiçados.
O tempo não passa rápido
É mal aproveitado.

O sol me cerca de todos os lados...
E é até um pecado, eu nessa cadeira,
Quando há tantos, definitivamente, sentados.

O domingo me acusa desse crime hediondo.
Diz, vamos aos festins dos mortais,
Dos que não querem mais nada,
Que a alegria embriagada de suas vielas.
Da fumaceira cheirosa
Dos seus quitutes ensebados
A escore-lhes dos lábios.

E o que é alegria, afinal,
Alegria não é uma alegoria,
Alegria é um estado de espírito,
Bem físico por sinal.

25.01.2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário