sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Instantes

4 comentários:

  1. Boa noite Fábio Murilo

    Amigo, fiquei sem palavras!
    Amei o video com sua Poesia
    Simplesmente maravilho... pena que a vida não volta atrás!

    Deixo um beijo, e bom fim de semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A poesia não é minha não Cidalia, supostamente é de J. L. Borges, escritor argentino, já ouvi dizer que não é dele. Instantes é um clássico, pra ser pregado na porta da geladeira e lermos toda manhã e não perdermos tempo e nos enchemos de coragem pra quebrar a cara se possível for, pra salvarmos nossa vida, enquanto é tempo, pois ela vai acontecendo a revelia de nossa vontade, escorrendo dos dedos distraídos. A vida é nossa, é um bem inalienável. Vivamos apesar e independente de tudo, sejamos...

      Excluir
  2. Este é um texto de Don Herold, ligeiramente modificado e muitas vezes atribuído a J.L.Borges, nem se sabe bem como essa confusão toda começou...
    O texto é excelente, cheio de grandes verdades.
    Nós preocupamo-nos com o dia e não com os instantes desse dia, e é claro que agindo assim o adia acaba por geralmente ser uma trampa...Claro que temos muita coisa que quotidianamente nos influencia, mas também temos de ser exigentes connosco quando isso não acontece. Deixamos passar o tempo, e depois começa a ficar tarde para certas coisas.
    Eu, pelo menos quanto a erros não me posso queixar, nunca deixei meus erros por mãos alheias, ou que alguém errasse por mim, eu própria me encarrego disso...;-)
    Como você disse à Cidália, sejamos!
    A errar porque arriscando. A cair e a levantar.
    Independentemente do autor, as palavras é que interessam.
    Sempre bons vídeos!
    xx

    ResponderExcluir