sexta-feira, 29 de novembro de 2013

O Que Eu Adoro em Ti - Manoel Bandeira

6 comentários:

  1. Boa noite amigo Fábio !
    Amei este poema, a narração pelo ' moço ' ficou muito legal.

    Sabe que é muito legal quando alguém consegue enxergar o que há dentro de nós... Certa parte deste poema me fez lembrar disso.

    Belo post !

    Beijos em seu coração, da sua amiga Fê !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato Fê, nem todos conseguem enxergar, como diz o pequeno príncipe: "O essencial é invisível aos olhos". Beijos!

      Excluir
  2. Gostei muito da forma como ele disse o poema, de forma muito simples. Detesto quando os poemas são demasiadamente declamados; porque as palavras ditas de forma sentida, bastam-se a si mesmas.
    Um poema muito bonito de Manoel Bandeira, demonstrativo da dificuldade de dizer porque se gosta, neste caso porque se adora; no fundo o que ele mais adora é que ela exista para ele. O resto são pormenores, todos fantásticos, mas pormenores. A beleza está na indefinível totalidade de todos as partes.
    O que eu adoro em ti? Tua simpatia, tua escrita maravilhosa, tua humildade,e uma certa e cândida ternura que releva da atenção que prestas a toda a gente.
    É muito bonito ser bonito com os outros.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo comentário como sempre. E obrigado pela consideração e favoráveis conceitos a meu respeito Laura. Procuro viver e ser assim, até agora só ganhei com isso.

      Excluir
  3. Bom dia, Fábio. Um poema muito bom de se ler e ouvir.
    Um talento escrito pelas mãos de Bandeira.
    Ele não adora as coisas superficiais, ele adora a essência, o interior, o que sai de dentro, que pelas características citadas, apenas se avoluma.
    Ela adora a dualidade existente nela manifestada através da vida.
    Belíssimo
    Ótima escolha.
    Tenha um dezembro de paz!
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir