sexta-feira, 16 de maio de 2014

A Beleza do Rosto


A beleza do rosto
É um acidente,
Um raro acontecimento.
Como as estrelas cadentes,
Os comentas, os eclipses,
A encher de espanto
O manto do firmamento.

A beleza do rosto  
É uma dádiva.
Ocaso e acaso feliz,
Sacerdócio e oficio.
Como o momento da flor
A desabrochar logo a murchar
E ser igual à pedra,
Raiz, cicatriz e dor...

A beleza do rosto
É um esquecimento,
Um vácuo, um lapso,
Alento e brisa,
Caricia no áspero
 E trágico evento da vida.

Fábio Murilo, 10.05.2014

40 comentários:

  1. Escreveu muito bem, e é o rosto que mais chama a atenção mesmo.
    Criticam essa moça pelos papéis que representou, mas eu li trechos do diário que ela começou a escrever aos 16 anos de idade, tinha compreensão ampla da realidade. Os papéis é que não a favoreceram, talvez daí sua insatisfação pessoal. Hoje, ela poderia atuar em papéis mais consistentes, mais afins com sua inteligência elevada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, isso é uma verdade. Foi? Bom saber desse relato. Verdade Marcos, as pessoas costumam julgar superficialmente. Obrigado.

      Excluir
  2. Um excelente texto, Fábio.
    Estou te seguindo.

    Abraços

    Carlos Hamilton
    www.mesadeconversa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carlos, sinto-me honrado em recebe-lo. Agradecido!

      Excluir
  3. Bom dia Fabio

    Parabéns pelo teu poema, Que chama atenção numa Mulher,se não o rosto? Adoei.

    Beijo, bom fim de semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Também o rosto. Que há de mal? Obrigado, Cidália. Beijos!

      Excluir
  4. A beleza física é efêmera, porém, a da alma é para sempre.
    Gostei, Fábio!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Considero que, duradoura ou não, tudo é beleza. Obrigado Shirley, beijos!

      Excluir
  5. Linda poesia. Mas o que seria a beleza do rosto
    sem o encanto da alma."Se tu me cativas, eu sentirei
    saudade". Rostos geralmente não deixam.
    E por falar em saudade vc disse que tem sal na palavra,
    eu diria que tem saude...Xiiii hoje eu estou contestadora.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria um rosto apagado, garota, de uma beleza sem alma. E muita saudade acaba com a nossa saúde, rs... Será que existe uma doce saudade? Melhor mesmo é a saciedade do encontro. Valeu, Bandys! Beijos!

      Excluir
  6. O rosto é o grande cartão de visita de qualquer pessoa. Mas ser belo ou feio é realmente como escreveste, sempre uma questão de acidente. Não se é simpático e educado por acidente, mas é-se bonito por acidente, porque aquando da mistura de genes nunca se sabe o que irá surgir dali.
    Existem rostos lindos, outros feios, outros assim assim, mas o que importa mesmo é gostarmos de nós próprios e aceitarmo-nos como somos, e compensar , se for o caso, a nossa falta de beleza com educação, bom humor e graciosidade. Tantas vezes uma pessoa bonita se torna desagradável pela vaidade ou antipatia e vice-versa... E a beleza é sempre fugaz, não dura para sempre, logo desaparece. Há é que investir noutros aspectos de nós enquanto pessoas. Sinto uma certa pena das mulheres que se submetem a tanta cirurgia estética com vista à aproximação de um certo ideal de beleza, quando até são pessoas bonitas.
    Gostei do poema. E já percebi o tipo de mulher que faz o teu género...;-))
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O conceito de beleza física varia ao longo do tempo e cultura, é muito relativo. Realmente, em sua completude, a beleza é isso tudo que descreveu: beleza exterior e interior. Embora fugaz, a beleza exterior é beleza, certos rostos são uma unanimidade, enquanto conceito aprendido, queiramos ou não, feito o rosto da Marilyn. Essencialmente é como sentencia, generosamente, Fernando Pessoa: “A beleza é o nome de qualquer coisa que não existe que eu dou às coisas em troca do agrado que me dão”. Obrigado, Laura.

      Excluir
  7. Incrível a tua habilidade em falar da beleza mais bonita de um ser humano, a expressão, o olhar, o sorriso, enfim. Ficou lindo!

    ResponderExcluir
  8. Bom dia amigo Fabio.. grato pelas palavras.. as vezes é bem verdade.. amigos aqui são mais verdadeiros que os ditos reais.. sobre tua poesia.. a beleza para mim numa mulher sempre vai começar nas mãos srrs
    admiro muito uma mulher que usa unha francesinha.. abração amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada, Samuel. Pois é, já sabia dessa tua predileção numa certa entrevista, rs... Pois é, essas lindas mulheres... Unhas, cabelos, bocas, apelos visuais a hipnotizar a gente, rs... Abraço cara!

      Excluir
  9. a beleza das palavras dançando na tela ou no papel; a sensibilidade.

    dentrodabolh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. A beleza externa é mesmo um lapso.

    Beijos,
    Blog | Youtube

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que seja, Nina, um acontecimento feliz. Obrigado.

      Excluir
  11. olá!
    é a primeira vez que venho aqui mas
    com certeza não será a ultima
    seu blog é show e sobre sua postagem é magnifica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo gentil comentário. Seja bem vinda!

      Excluir
  12. Boa tarde,amigo!
    Parabéns pelo belo trabalho.
    Abraços
    Sinval

    ResponderExcluir
  13. A beleza do rosto um dia partirá para sempre.
    Grande poema!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como tudo, enfim, Anderson, no seu devido tempo. Obrigado!

      Excluir
  14. Muito bom!
    Inspiradíssimo, sempre!
    Parabéns!

    Bom final de tarde, Fábio!

    ResponderExcluir
  15. Olá, Fábio Murilo.

    A beleza do rosto, é a alma exposta em alegria ou dor. Depende do ângulo do olhar.
    Belíssimo, a sua postagem
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, e tem até quem ame o "feio" que bonito lhe parece. Reativo esses critérios de beleza tipo concurso de miss. Obrigado, José Maria. Abraços.

      Excluir
  16. Muito bem descrito...
    Quanto à escolha da imagem, está óptima, e além desta só mesmo a da Bette Davies.

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouvindo isso de um genial cronista, sinto-me lisonjeado. Obrigado, Daniel. Abraços.

      Excluir
  17. Boa tare, Fábio. Você foi muito feliz em suas palavras, é efêmera a beleza exterior, ela brilha, faz acontecer, mas passa, sempre passa.
    Já a beleza interior ela nunca morre, carregamos conosco para sempre o que de belo somos e trazemos em nossa alma, nem o tempo, senhor implacável, poderá nos roubar.
    Quem se baseia apenas na beleza física para poder ter uma vida de felicidade, não sabe o quanto está equivocado!
    Parabéns! Amei!
    Tenha um dia de paz!
    Beijos na alma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita sua conclusão, Patricia, é isso ai. Obrigado.Beijos!

      Excluir
  18. Como sempre, perfeito, Fábio! O ideal é quando as belezas se encontram, tudo na mais linda harmonia. Difícil?
    bjsss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Tais, um raríssimo acontecimento, bonito por fora e por dentro. Obrigado!

      Excluir
  19. Olá Fábio!
    Realmente a beleza não dura sempre,,,todos gostam de ver um rosto lindo,mas o que fica com o passar dos anos é a beleza dos sentimentos e das boas práticas.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, tal qual a beleza da flor que desabrocha e logo seca. O ideal seria, como disse Tais, as duas belezas se encontrarem. Obrigado, Maria Emília.

      Excluir
  20. Lindo e impactante sua poesia, este verso é simplesmente verdadeiro:
    "A beleza do rosto
    É um esquecimento,
    Um vácuo, um lapso,
    Uma brisa, um alento,
    Caricia no áspero
    E trágico evento da vida".
    Você é um grande poeta Fabio Murilo.
    Um abraço da amiga, Maria Teresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, gentil, Maria Tereza, que bom encontra-la por essa bandas! Obrigado, Abraços!

      Excluir