sexta-feira, 26 de junho de 2015

Butterfly



Fica assim não, senão todas as aves do céu cairão,
As estrelas se precipitarão num cataclismo apocalíptico.
As canções não serão mais ouvidas, comovidas calarão.

Fica assim não, vai, levanta a cabeça, ressuscita a criança
Que antes havia e nada sabia da vida, sorria apenas,
Acordava e dormia sem preocupação e medos vãos.

Repara no espelho teu rosto é belo, põe uma flor no cabelo.
Raro é teu jeito a espalhar afetos e sorrisos.

Rasga, nesse lusco-fusco, a feia crisálida que agora te oprime
E injustamente comprime tuas lindas asas de borboleta.

Fábio Murilo, 26.06.2015

42 comentários:

  1. Bom dia Fábio
    Parabéns pelo poema. Lindo de mais!! Amei

    Bom sábado, beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Bom seria, Fábio, se tivéssemos a alma colorida e pudéssemos voar tranquilamente como as borboletas...
    Paz e Luz!

    ResponderExcluir
  3. Adoraria ser livre como as borboletas...
    Lindo poema!
    É verdade Fábio,seu poema é bem parecido com o meu,só com palavras diferentes.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, Nelma. Obrigado pela visita. Beijos!

      Excluir
  4. Estou num momento da minha vida que não sei se é triste, caótico, se eu devo encarar, sumir, desaparecer.
    Às vezes o que me salva disso tudo é a poesia, mesmo que eu não consiga cuspir uma linha sequer no caderno.
    Tua poesia foi importante neste momento, cabe um pedaço tão grande da minha vida em um verso teu.
    Ao mesmo tempo em que tudo isso coincide, eu só queria que alguém olhasse no fundo dos meus olhos e tivesse a sensibilidade de escrever algo tão profundo.
    A minha alma está tão triste, tão negra e vazia que eu acho que ela usurpou toda a minha capacidade, toda a minha poesia.
    Você é sensível, Fábio.
    Obrigada por me fazer borboleta, voar, um instante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Carolzinha... Esses momentos ocorrem com todos na vida, é assim mesmo. "Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe". Que bom no entanto que a leitura do meu poema tenha lhe dado um certo alento, ser-lhe útil, tenha prestado sua função, emocionar, motivar. Obrigado pelos gentis elogios, como lhe é peculiar. Beijos!

      Excluir
  5. Oi Fábio,

    vim agradecer a visita e conhecer o seu espaço. Lindo seu poema!
    Um misto de nostalgia e afeto.
    Abraços

    Leila Rodrigues

    ResponderExcluir
  6. Que essa linda borboleta fique livre e feliz para continuar a espalhar afectos e sorrisos.
    Lindo poema.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Tomara. Sempre! Obrigado Maria Rodrigues. Beijos!

      Excluir
  7. A borboleta antes de nascer passa
    por um metamorfose que parece o final da vida..
    mas para se ver linda e livre é necessario esse processo.
    Belo poema. Incentivador.
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Fábio,
    Obrigada por me seguir
    Seu poema Borboleta é muito lindo, sai quentinho de dentro do seu coração
    Beijos no coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Lua Singular, pela visita. Beijos!

      Excluir
  9. Olá, Fábio! Lindo poema... libertador,eu diria. É impressionante como vamos nos perdendo dessa inocência tão importante para ocultar o que nos tira o viço. Retomemos a beleza interior, a beleza do olhar sobre a vida, voemos....Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo comentário, Bia. Inspirado. Abraços.

      Excluir
  10. Tocante, Fábio! Numa poesia quase comovedora...

    Abração :)

    ResponderExcluir
  11. "Fica assim não"
    Um pedido que começa assim, tão doce, tão terno, tão sentido, há de chegar na alma e ali desvencilhar as emoções daninhas, os sentimentos negativos, e preparar-se para realmente levantar a cabeça e ressuscitar a criança adormecida. Pois só ela, essa criança que pelos embates da vida deixamos adormecer/fenecer dentro de nós, conseguirá o milagre da transformação da feia crisálida numa linda borboleta. E só um pedido carinhoso como este: "fica assim não" poderá despertar a criança adormecida.
    Sorrisos e estrelas, meu querido, nas horas dos teus dias.
    Meu carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, agradabilíssima Helena! Adoro teus afetuosos comentários, faz falta., acredite, importantíssimos. Personalíssimos! Abraços!

      Excluir
  12. Poesia maravilhosa Fábio!!! Essa tomou o posto da mais linda que já li tua!
    Além do mais amo borboletas!!!
    Parabéns!!!
    Beijoe e beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, lilly. O que?! a maios linda que já leu por essas bandas?! Que ótimo! Gracinha de pessoa tu é. Beijos!

      Excluir
  13. ... Boa tarde Fábio!
    Seu poema me fez acreditar que ainda existem poetas, poesia de bom gosto, poesia de verdade, pura, terna... que tocam o coração, despertando a ternura do amor... Acredito eu que esse é um dos papéis da poesia...
    Esse teu poema é dos mais lindos que já li aqui. O título ficou maravilhoso, super chique!

    ... e com certeza essa borboleta tão acalentada, ainda dará altos voos...

    Beijos!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fê. Doçura e meiguice de comentário, de uma generosidade ímpar. Que bom que tenha gostado tanto. Com certeza, essa linda borboleta de asas multicolorida voa e voará bastante por entre as flores receptivas, e alcançara seus objetivos.Sem fazer força, apenas se beneficiando do rumo natural das coisas, toda ação gera uma reação, gentileza gera gentileza, o mundo retribui e agradece. Beijos!

      Excluir
  14. Que mensagem inspiradora, Fábio! Belíssimo poema.

    Um grande abraço..

    ResponderExcluir
  15. Bela postagem amei o texto, bom final de semana
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=eNNlFtDc1-o
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, Nequéren. Seja sempre bem vinda! Abraços!

      Excluir
  16. lindo blog sucesso seguindo amei em conhecer esse
    maravilhoso blog belas poesia,
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

  17. Olá Fábio.

    Adorei a oportunidade de conhecer seu espaço, rico em sensibilidade e talento poético.
    Muitas vezes nos abatemos e perdemos o brilho diante de circunstâncias da vida por ter esquecido o olhar e os sentidos da criança interior que habita em nós.
    Essa criança confiante e alegre, que tudo encarava sem medo de se machucar. É essa criança que traz leveza aos nossos dias e devemos cuidar para deixá-la livre, leve e solta dentro de nós. Somente assim seremos capazes de 'rasgar a feia crisálida' e alçar o encantado voo das borboletas.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, seja bem vinda, Vera Lucia. E obrigado pelo comentário. Abraços!

      Excluir
  18. Se conseguirmos deixar as borboletas em voo livre ao nosso redor, acho que um pouquinho de felicidade deverão deixar-nos, quero dizer com isso que ser feliz depende de nossa postura na vida, deixar as adversidades do passado lá no passado e crescer; deixar a criança que há em nós desenvolver-se sem os traumas que um dia vivenciaram. E muitos deles, não requerem nem um pouco de atenção... Não foram tão relevantes ao ponto de atrapalharem o presente...
    Beijo, Fábio, lindo e bem construído, próprio de sua inspiração!

    ResponderExcluir
  19. Sempre tão lírico. Nós agradecemos por isso. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, gentil guria. Eu que só tenho agradecer. Beijos!

      Excluir