sexta-feira, 12 de junho de 2015

Pretérito Perfeito


O passado é um gado manso
Pastando num vale ensolarado;
É uma cadeira de balanço
No canto da sala;
É um tigre de bengala
Cochilando na jaula;
É um lago esverdeado
Pelo lodo acumulado no fundo;
É o mundo estagnado
Da janela do quadro;
É um instante de alegria
Capturado numa fotografia.

 Fábio Murilo, 20.08.2002

36 comentários:

  1. Bom dia Fábio
    Maravilhoso poema com uma imagem lindíssima

    Beijo, bom sábado-Venha ver a novidade de hoje.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Gostei!
    O passado é bem assim mesmo, você poetisou lindamente o passado.
    Grande abraço e agradecida por sua visita.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Obrigado, grande escritor Português. Abraços.

      Excluir
  4. Bom dia ♡♡♡
    Musica linda que deixou esse
    poema mais que perfeito combinação linda
    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, Rita. Linda essa valsinha, concordo. Abraços.

      Excluir
  5. É feliz quem tem um passado manso assim...
    Gostei, Fábio!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. OI, como está?
    Adorei seu blog e gostaria de te fazer um convite, estamos com um novo projeto, se chama "Turbonauta", lá reunimos os melhores blogs da atualidade e o seu sereia muito bem vindo, se aceitar é só nos fazer uma visita, lá você poderá divulgar seus links diariamente, sem custos, sem cadastro e de forma super simples, esperamos sua visita, até mais!
    http://turbonauta.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Louvável sua iniciativa, Alfredo, fui lá. Guardarei nos favoritos seu blog. Obrigado pela visita, seja bem vindo e volte sempre. Abraços.

      Excluir
  7. O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto.Fernando Pessoa. 2002, faz tempo. Boa tarde

    ResponderExcluir
  8. Boa noite, Murilo.
    Gostei muito do poema.
    E o passado, como diz a música, é uma roupa que não nos serve mais
    Podemos tirar lições dele e devemos, nada mais do que isso, para que na frente, no presente, a nossa história seja diferente do que foi e mais feliz.
    Guardamos lembranças boa do passado também, mas são lembranças e o rio segue o seu curso.
    Viver no passado ou futuro é somente fazer com que soframos, pois um não volta, e o outro, desconhecemos.
    Parabéns.
    Tenha uma semana de paz, amigo.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sintetizou com maestria esse dilema do tempo. É isso. Mas, eu sou mais generoso, no passado tá guardada nossa infância, os amigos que não vemos mais. O primeiro dia de aula, a roupa nova, comprada por nossos pais. O primeiro amor, o primeiro beijo, tudo que não volta mais. Um verdadeiro relicário de saudade. Beijos, Pat.

      Excluir
  9. Ao meu ver o passado é um gado inquieto que sempre quer atropelar a gente. É tudo o que não conseguir ser, justamente porque é passado.

    Lindo poema
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa... Passado tá mais pr agado empalhado, diria, faz mal mais não, rs... Poxa forte o que disse e reflexivo. Obrigado, Ary. Beijos!

      Excluir
  10. Lindo poema Fábio! Gosto sempre de deixar o passado para lá...mesmo essa não sendo uma tarefa fácil de se realizar...
    Beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. A perfeição do passado, do que não se pode mexer.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, Fábio!
    É assim mesmo... o que passou já está parado, é mais calmo, dormente... Nos momentos vividos são intensos e muitas vezes até angustiante, mas vendo pela janela do quadro presente... tudo mudou...
    Belíssimo !

    Abraços e ótimo dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei de sua analise, muito lúcida. Obrigado.

      Excluir
  13. Fábio, meu querido e terno amigo: minha alma apoderou-se da beleza de todos os outros poemas teus que ainda não havia lido. Quanta ternura, quanta doçura e quanta sabedoria ao expressar teus sentimentos/emoções/pensamentos/reflexões... Ah, meu amigo, teus poemas são trazidas nas asas de uma imaginação (ou de uma vivência) impressa no coração, e nos dás a conhecer a tua produção em versos simples, ora elaborados, mas tão fáceis de identificar como frutos de tua alma generosa que olha a vida, o mundo, as pessoas, as coisas, com olhos enriquecidos na beleza da verdadeira Poesia. É tão bom te ler! Tão fácil de se encantar no mistério do teu sonhar... tão fácil! E tão prazeroso!
    O passado, ah, o passado! Como deixá-lo hibernando no seu cantinho sem dele nos apercebermos, impossível! É dele que nos vem muito da sabedoria que comanda atos/reflexões/pensamentos. É realmente "uma cadeira de balanço/No canto da sala", ou como tão lindamente soubeste expressar: "um instante de alegria/capturado numa fotografia." Que belo verso!
    Meu querido, grata pelas visitas afetuosas que me fazes e as mensagens que tão bem faz ao meu coração.
    Não tenho tido o tempo necessário para visitar os amigos queridos que por aqui fiz, mas quando o faço é com o coração enternecido de saudade e afeto.
    Que a vida seja sempre pródiga em sorrisos e estrelas a brilhar nesse teu olhar tão enfeitiçado de amor pela vida.
    Com muito carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A quanto tempo delicadíssima e gentilíssima, Helena. Obrigado pelo afetuoso comentário de sempre. Abraços!

      Excluir
  14. Diz o dito popular: ''Quem vive de passado é museu.''
    Realmente não é bom, e nem é possível viver completamente o passado, pois apesar de lembrarmos de vários fatos, nem todos sobreviveram em nossa memória, porque se isso ocorresse, aí sim não teríamos como viver o presente, digo isso baseado em artigos que li, de pessoas que entendem do assunto. Porém, algumas vezes o nosso presente, não anda muito bom, e abre-se uma janela em nossa memória, que janela seria essa? As boas lembranças do passado, parece que o nosso cérebro naquele instante reage, e nos presenteia com um doce momentâneo, só para adoçar por alguns instantes a nossa nada mole vida.... Entendo que quando se fala em não viver de passado, ou do passado, é muito remetido às lembranças ruins (magoas, rancores, tristezas) coisas que não vale a pena reviver em nosso presente... nada vai acrescentar, nisto não há edificação alguma. Digo que nem sempre é fácil, esquecer, não relembrar momentos em que nos feriram, magoaram... mas acredito sempre que nós (seres humanos) temos um grande poder de superação... há pessoas que são mais frágeis e até precisam de ajuda, e isso é algo normal.
    Mas devemos sempre olhar para novos alvos, para o futuro, viver o presente sempre olhando para frente, porque enquanto não deixarmos para trás, o que ficou para trás, não conseguiremos alcançar os nossos objetivos, porque nós mesmos estaremos atando nossas mãos, e assim ficaremos estagnados.
    Enfim... seu poema ficou lindo Fábio, em poucas palavras disseste muito. Um bom conteúdo para que cada um reflita... sendo assim seu poema além de ficado uma bela obra de arte, contribuiu para pensarmos, e isso é ótimo, estimular o ser humano a pensar, refletir... Espero ter contribuído.

    Beijos querido poeta!

    Fê!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Contribuiu e como. Falou de forma sensata e imparcial, analisando os pros e os contras. Não há muito o que acrescentar. Deixou-me sem maiores argumentos, disse tudo e mais um pouco. Obrigado pelas palavras elogiosas, muito gentil, como sempre. Beijos, Fê! :)

      Excluir
  15. Oi Fábio,parabéns pela sensibilidade e profundidade das palavras! Impossível não ler seu poema e não se remeter a lembranças antigas, aquela velha nostalgia sabe... aquela saudade gostosa de um passado distante (ou não rss)

    Abraços!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Que lindo isso, Fábio, o passado é nossa história, é a única coisa que temos de concreto, pois o presente está se fazendo e o futuro...nem pensar, cedo ainda. Bem que sou um tanto futurista e pago alto por isso. Mas jamais nego meu passado, as coisas que aprendi, que vivi, que sonhei. Lá que me fiz gente, que moldei meus sentimentos, meu caráter.
    Gostei, bonita postagem, nos traz de volta, talvez para juntar o bom que ficou ao presente ou futuro incerto.
    Beijo, menino de ouro.
    Volto amanhã.

    ResponderExcluir
  17. Um belo quadro... impossível não extasiar-se diante da beleza dele.

    =)

    ResponderExcluir