sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Disponibilidade


Tão bem combinamos
Que nos misturamos
E nem notamos
O encontro das aguas
A despejar no oceano.

Somos ambos e uno,
Sobramos, restamos.
A perfeita adequação,
A antecipação, o gesto largo.
A palavra que afaga,
A atenção procurada
E encontrando o ombro,
A hora que for e queiramos
Agora, se preciso for.

Fábio Murilo, 17.02.2016

46 comentários:

  1. Bom dia Fábio.
    Maravilhoso poema, como sempre.

    Um sábado feliz e um bom fim de semana.
    Beijinhos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Dois a formar uma unidade , sem que a individualidade se perca, num verdadeiro encontro de ternura, de entendimento, de flexibilidade.
    Raramente acontece essa "perfeita adequação". :-)
    xx

    ResponderExcluir
  3. Esta disponibilidade existe quando dois estão
    na mesma sintonia, ficam um na sintonia do sentir!...
    Poema muito belo e terno, Fábio!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Mas essa é a cumplicidade, a interação, a sincronia nas atitudes para que tudo dê certo: seja no amor ou na amizade.
    To com insônia! acordei cedo.
    Ótimo, Fábio!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah é fundamental, tão essencial quanto o oxigênio. Beijos, Tais.

      Excluir
  5. Bonita essa analogia das águas para seres que preenchem e adequam-se um ao outro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. uau! Que lindo, Fábio. Uma preciosidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Rosa Matos. Muito gentil em suas observações. Abraços.

      Excluir
  7. Lindíssimo poema!
    A beleza do Amor transposta em versos.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  8. Que lindo! A cumplicidade tem que existir para que o amor seja sempre iluminado.Parabéns Fábio Murilo e agradecida pela visita e volte quando puder, um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Oi Fábio querido


    Que poema lindo...
    Vou concordar com a Larissa, um dos mais lindos que já li.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  10. É tempo de ser feliz, quando se encontra alguém com todas essas qualidades.
    Lindo, Fábio!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Fábio, grata pela visita e pelas impressões deixadas...

    ResponderExcluir
  12. Lindo, Fábio!
    Tão bom quando se encontra uma pessoa com a qual se tem total afinidade e sintonia! Coisa rara, mas acontece.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  13. OI FÁBIO!
    ESTAR DISPONÍVEL PARA O AMOR É ASSIM, DOIS VIRAM "UNO"
    LINDO1
    ABRÇS

    http://. zilanicelia.blogspotcom.br/

    ResponderExcluir
  14. O poema de agora casa perfeitamente com o anterior onde a ausência do ser amado se torna um dia perdido e te deixa aturdido a colher rosas que já estão a se despetalar, sem saber como abrir portas nem fechar janelas...
    E é assim, meu querido, que nos sentimos quando distantes da pessoa amada, justamente por saber que juntos somos a “perfeita adequação”, que um cuida do outro, que a palavra ou gesto pensados são sentidos em uníssono e quando um se adianta encontra a ação do outro a abrilhantar o momento.
    Fábio, meu querido, soubeste, com grande mestria, e a dizer do grande poeta que tu és, sintetizar a presença e a ausência do outro que nos completa, em versos delicados, sentidos e líricos.
    Como sempre, um prazer estar por aqui.
    Deixo sorrisos a brincar entre as rosas que daqui a pouco estarás a colher para enfeitar os braços da pessoa amada, bem como um punhado de estrelas para enfeitar o olhar dos dois que nos dizem sempre estar mirando o mesmo horizonte.
    Junto a tudo, o meu carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Helena, pela doçura e elegância nas costumeiras palavras. És uma dama. Abraços.

      Excluir
  15. Em tempo: a tela da postagem é uma aquarela, mas estou te enviando o link de uma pintura, também do Zou Chuan an. Tanto um estilo quanto o outro nos sensibiliza pela delicadeza das pinceladas e pelo efeito extraordinário do estilo gong-bi.
    Quando num passeio pela China tive a alegria de visitar uma galeria do Zou Chuan an (e outros) e o prazer de adquirir duas telas.
    Mais sorrisos, mais estrelas, mais carinho, amigo querido,
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Feliz escolha, como disse combina perfeitamente com a delicadeza de teus escritos,a suavidade dos quadros, lindos. Adoro aquarelas. Obrigado, pelo carinho.

      Excluir
  16. um poema que nos fala de almas gémeas, ou seja um poema terno e apaixonado onde dois dão apenas um.
    muito belo!
    bom fim de semana.
    beijinho
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante as observações, Sol. Bom final de semana também. Beijos!

      Excluir
  17. Que bonito Fabio assim é o amor
    um dois.....Uno vc é fantástico

    Bom final de semana..
    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Rita, pela visita. Abraços.

      Excluir
  18. Seu belíssimo poema me lembrou aquela adequação que fizeram daquele ditado: "Os opostos se atraem". Um ditado que, aliás, discordo em amplo sentido. Tal adequação é: "Os DISPOSTOS se atraem." Muito mais verdadeiro.

    Excelente como sempre, amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digo ou já vi assim também, Victor, "Os opostos se distraem." Também não se que lógica tem, e se por acaso se sentirem atraídos, logo, logo, entrarão em conflito. Obrigado, abraços.

      Excluir
  19. Depois de muito tempo afastada dos blogs estou de volta e com um espaço novo. Adoraria a visita dos amigos.

    momentosbrancoepreto.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Essa disponibilidade vem do sentir. Quando há afinidades, querer verdadeiro... não falta espaço para o encantamento que a companhia oferece. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Marilene, e tudo acontece como numa dança, espontaneamente, na boa vontade. Abraços.

      Excluir
  21. Muito bom, Fábio!
    E como é difícil encontrar uma sintonia perfeita com outra pessoa, porém quando acontece é algo prazeroso!
    Grande abraço, sucesso e ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Evandro. Exato, coisa rara. Abraços!

      Excluir
  22. Lindo poema meu poeta querido!
    Amei a imagem, muito terna!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, companheirinha, obrigado, visse? Beijos!

      Excluir