terça-feira, 1 de março de 2016

A Medida da Afeição



Enquanto tua falta
For uma realidade gritante
E, de contra partida,
O prazer funcionar
Como o termômetro do amor
O gosto de estar
Ao lado de quem se gosta.
E a alegria do convívio
Resistir feito uma rocha
A erosão da rotina,
E, consequentemente,
Toda minha vida tremular
Feito uma bandeira ao vento,
E o encanto, espanto,
                                       Ser tanto a alimentar a chama,      
A lubrificar o riso,
A renovar o viço,
As cores do inicio,
Onde tudo são flores.
Enquanto...

Fábio Murilo

42 comentários:

  1. Cidália Ferreira1 de março de 2016 02:58

    Encantador poema!!

    Beijo e um dia feliz.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Vanessa Palombo1 de março de 2016 05:25

    Olá Fábio,

    Um texto bem verdadeiro, estou vivendo um momento assim...

    Obrigada pela visita

    Abçs

    ResponderExcluir
  3. Cecilia, 1 de março de 2016 05:39

    Que seja eterno enquanto dure!
    Belo poema!
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Cecilia. É uma construção diária.

      Excluir
  4. Laura Santos1 de março de 2016 10:25

    Uma imagem vermelha como a paixão. Dizem.
    Só se sente verdadeiramente falta do que é importante. Enquanto existir essa alegria de estar juntos, essa resistência à rotina dos dias, e a tentativa do encontro na vibração feita de "encanto, espanto", vale a pena persistir, porque esse "Enquanto" significará "que seja eterno enquanto dure". :-)
    Delicioso poema, Fábio.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certeira, como sempre, como tivesse escrito o poema, Laura. Obrigado, abraços!

      Excluir
  5. Respostas
    1. É, sempre que faço edito, editei o final. Um pouco de preciosismo, mania de perfeição, rs. Abraços.

      Excluir
  6. Só um amor verdadeiro e pleno de afeição e carinho resiste ao passar dos tempos.
    Lindo poema.
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
  7. “O gosto de estar ao lado de quem se gosta” é que traz a alegria para o convívio. Quem tem a ventura de viver este tipo de sentimento, de usufruir dele as emoções mais preciosas, com toda a certeza foi agraciado com benesses para além do imaginado. Viver um grande amor é dádiva dos deuses! Eu, que tenho a felicidade desta dádiva, sei como deves te sentir, meu querido amigo, ao ver tua "vida tremular feito uma bandeira ao vento” e perceber que o encanto e o espanto são mimos a “alimentar a chama, a lubrificar o riso, a renovar o viço e as cores do início onde tudo são flores”.
    Vivo tudo isto no dia a dia!
    E espero, menino lindo, que tu também possas continuar a viver este sonho/realidade da forma mais bonita e mais plena que a tua alma puder aconchegar.
    E que não seja apenas um por enquanto... Mas que o momento seja de uma perpetuidade que te dê a certeza de que enfim a tua alma gêmea chegou na tua vida.
    Sorria, meu anjo, para que a vida também te sorria e te envolva num belo manto salpicado de sorrisos e de estrelas para eternizar em ti a descoberta do amor.
    Meu carinho numa pétala de rosa vermelha, a dizer da minha admiração pelo poema e também pela bela imagem.
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own... Obrigado, Lena. Sempre tão terna. Um mimo de comentário,como de costume. Soma muito. Beijos, querida.

      Excluir
  8. "E a alegria do convívio
    Resistir feito uma rocha
    A erosão da rotina..."

    Acho que um convívio alegre e mais próximo da perfeição só se faz dessa maneira, trabalhar a amizade, o amor, o companheirismo para que não haja desgaste suficiente para as erosões.
    Isso torna-se mais fácil quando o amor, o cuidado com o outro sempre esteja presente. É a chama acesa.
    Um beijo, Fábio! Inspiradíssimo, menino de ouro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado,fiel seguidora. Sempre tão amável. Beijos!

      Excluir
  9. O tempo é capaz de apagar a chama da paixão, mas o amor sempre prevalece. É um fio de luz que resiste, bravamente, no fundo do coração. Muito bom, Fábio. É assim que se constrói uma vida ao lado de quem se ama. Beijos amigo querido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito maduro seu comentário, Carolzinha. Beijos!

      Excluir
  10. Enquanto isso, continuarei a te amar <3


    Suas poesias são lindas,Murilo.MUITO :)


    beeijão
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Como faz falta!... a 'falta' de quem amamos...

    Mais uma pérola poeta!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá certa, companheirinha, te gosto muito, beijos!

      Excluir
  12. Meu amigo, você tem uma sensibilidade poética muito aguçada. Deverias pensar em fazer uma seleção criteriosa dos teus poemas, formar uma obra e publicá-la. Tens ótimos poemas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, poetamigo. Pois é. Já publiquei dois a muito tempo atrás do próprio bolso. Um realização, super prazeroso. Quem sabe... Obrigado pelo incentivo e força. Abraço.

      Excluir
  13. Poesia inteligentemente construída com palavras certeiras. Muito bom, Murilo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Inspirador e motivado seu comentário, Anderson, obrigado.

      Excluir
  14. Olá Fábio,

    Enquanto tudo isto continuar acontecendo é porque o sentimento insiste e persiste. O tempo de convivência pode apresentar alguns desgastes naturais em uma relação, mas o amor é criativo por demais e indicará caminhos para a renovação da relação (quando valer a pena, claro).

    Muito lindo!

    Obrigada pela delicadeza dos votos.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem. Muito lúcido e realista, Vera, seu comentário, Abraço.

      Excluir
  15. Esta é a mais rica medida da afeição e a
    verdade da entrega. Com a verdade poética, transcende
    o preto e branco para o colorido libertador do sentir;
    um sentir no voo sútil da beleza, que veste os dias
    com a vontade da Volta!...
    Parabéns, Poeta. Um Poema magistral e muito Belo!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escreves uma poesia, Suzete, notaste, um luxo de comentário, rs. Beijos!

      Excluir
  16. Um convívio prazeroso mostra que o sentimento está vivo e que alguns baixos na relação não merecem que se lhes dê excessivo peso. São consequências naturais do estar juntos, verdadeiramente. Um poema por demais belo. Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Que lindo. Apenas quero continuar lendo para entrar nos meus poros enquanto antes suspiro a presença de quem partiu.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal que o poema te alcançou dessa maneira, Abraço, Sara e obrigado pela visita. Abraço.

      Excluir
  18. Lindo texto ! Adorei !!

    Enquanto... Durar !

    PArabéns pelo blog !

    ResponderExcluir
  19. Olá Fábio.
    É a primeira vez que visito o teu blog, mas ainda bem, porque vi boa poesia por aqui.
    Voltarei sempre que possa, por isso (já te sigo...).
    Bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado,Jaime, seja sempre bem vindo. Abraços!

      Excluir
  20. e que seja eterno.
    muito belo, isto!
    Um bom fim-de-semana.
    Beijo
    :)

    ResponderExcluir