sexta-feira, 18 de março de 2016

Das Reviravoltas


A vida seria um pesado fardo
Sem a possibilidade de um aceno.
Embora a desilusão nos assombre,
Abane o rabo feito um cão sarnento.
Embora o descontentamento, o chão.
Os dias já são um tédio só, lerdos, frios,
Vazios, tenebrosos, sem opção.

Algo que nos aponte uma saída,
Uma brisa de uma fresta de telha,
Uma gota de  chuva, um plano,
Um alívio, um suspiro, uma uva,
É tão pouco que precisamos.
Ir à tona,  tomar um fôlego,
Recuperamo-nos dos sustos,
Do lúcido, palpável, imediatismos.
Das obrigões dos homens de aço
E nos sentirmos vivos.

Fábio Murilo, 17.03.2016

35 comentários:

  1. Vivos,hm?É tudo o que queremos.Nos sentir vivos.Permitir a vida entrar em nós,rs.Isso é tãaaaao bonito :)


    Beijão :)
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/
    E aí,curte poesia?Estou postando um livro lá no wattpad e juro que não vai morrer de tédio,ahahahah.
    https://www.wattpad.com/myworks/41195811-poesias-espalhadas

    ResponderExcluir
  2. Poema perfeito!
    Uma imagem maravilhosa. Adoro

    Bom fim de semana
    Beijinhos

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderExcluir
  3. A sociedade está construída de forma a que tenhamos pouco espaço de manobra para operar mudanças. Vive-se, ou sobrevive-se ao dia a dia, absorvidos pelo trabalho para satisfazer as necessidades básicas, e outras "não necessidades" que se vão criando, e sobra pouco tempo para a novidade, para a reviravolta que permita "tomar um fôlego". Para um regresso a nós, a um primitivismo que pelo menos nos aliviasse as obrigações que nos transformam em seres rígidos, "de aço", entediados e tristes.
    Belo poema, Fábio.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lucidez! Que verdadeiro! É assim mesmo. Somou. Obrigado, Laura.

      Excluir
  4. É preciso driblar os pensamentos negativos, para que a vida não se transforme num pesado fardo.
    Seus versos são sempre construídos com muita realidade.
    Gostei, Fábio!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil. Obrigado, Shirley, pela visita. Beijos!

      Excluir
  5. Quão sábios são os teus versos, meu querido amigo! Em meio a esta turbulência de obrigações e deveres em que o ser humano se atola no dia a dia, buscando tomar decisões, resolver equações, criar projetos, ou até mesmo carregar o fardo de seguir uma rotina, torna a vida “um pesado fardo sem a possibilidade de um aceno” e os dias cada vez mais “vazios, tenebrosos, sem opção”. Neste redemoinho de coisas para se fazer e no desejo de que uma reviravolta se faça, é urgente buscar “algo que nos aponte uma saída”, nem que seja uma brisa, uma gota de chuva, um suspiro...
    Tão pouco, mas tão essencial! É preciso, como bem culminaste teu belo poema:
    “Ir à tona, tomar um fôlego,
    Recuperamo-nos dos sustos,
    Do lúcido, palpável, imediatismos.
    Das obrigações dos homens de aço
    E nos sentirmos vivos.”
    Fábio, como sempre, tu a nos brindar com versos que são verdadeiras pérolas de sabedoria.
    Que tua semana tenha muitos sorrisos e estrelas para enfeitar as horas dos teus dias,
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que sábios teus comentários, Lena. Que doces. Obrigado. Abraços!

      Excluir
  6. Um toque, um suspiro, uma uva, uma gota de chuva, pequenas coisas que nos fazem perceber que a gente vive dos pequenos prazeres! Bjs. Pati =)

    ResponderExcluir
  7. Muito bom, Fábio!! É aquela nesga de esperança que nos dá um fôlego para irmos adiante. É uma pausa de tudo, nada pode ser tão intenso que nos tire a possibilidade de sonhar, a perspectiva da felicidade, mesmo que por momentos alternados. Aliás, a vida é isso, feita de momentos...de escolhas.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De momentos, falastes bem. Mas, é a vida, fazer o que. Resistir, inventar a felicidade, nem que seja. Beijos!

      Excluir
  8. é preciso dar várias reviravoltas em nossos dias, para mantermos a alegria e o seu equilíbrio.
    um poema muito positivo.
    boa Páscoa
    beijinho
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Sol. Obrigado. Feliz Páscoa, pra ti também. Beijos!

      Excluir
  9. Existem dias assim, concretos de uma dureza árida,
    mas ainda bem que tem o canal Poesia, que coloca asas
    poéticas neste sentir de peso das obrigações e solta
    o grito: Liberdade para as palavras do Poeta!...rss
    Sim, tem o nosso humor Pernambucano de Ser, não é
    para qualquer um?!...rss
    Final de semana com voo, grande Poeta!
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, muito gentil, rs. Com esse jeito Pernambucano de ser. Beijos, conterrânea.

      Excluir
  10. Belo poema, Fábio. Das reviravoltas que precisamos, de tão pouco que precisamos...
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nato, a quanto tempo, rapaz! Exato, muito pouco conquistado, com muito sacrifico, mas é só disso que precisamos. Abraço!

      Excluir
  11. Na verdade, não é preciso muita coisa para nos sentirmos vivos...
    Excelente poema, gostei imenso.
    Uma PÁSCOA FELIZ, caro amigo Fábio.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho, Jaime. Feliz Páscoa também pra ti. Abraços.

      Excluir
  12. A vida é mesmo assim, feita de dor e alegria, sorrisos e lágrimas, sonhos e desilusões. O importante é aproveitarmos ao máximo o melhor que ela nos vai oferecendo.
    Lindo poema.
    Desejo-lhe uma Páscoa muito Feliz.
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A é, como disse a vida é assim. O importante é aproveitar o máximo, as oportunidades. Feliz Páscoa, Maria. Abraço!

      Excluir
  13. Linda reflexão, Fábio.. Sentir-nos vivos é fundamental.. Cultivar sonhos e pensamentos positivos sem dúvida é algo que nos motiva a viver!
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  14. Oi Fábio,
    Na vida vamos sonhando, sonhos maravilhosos, mas a vida é pedregosa e muitas vezes nos decepcionamos.
    Beijos
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  15. Precisei vir aqui para me reabastecer de esperanças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Guria! Que bom, que os versos te alcançaram dessa maneira. Abraços.

      Excluir
  16. OI FÁBIO!
    QUANDO NOS DEIXAMOS AFOGAR PELAS OBRIGAÇÕES, ESQUECEMOS QUE MUITAS VEZES UM ACENO PARA ALGUÉM E RECEBER UM SORRISO DE VOLTA PODE NOS TRAZER DE VOLTA AO QUE REALMENTE INTERESSA, A VIDA, FELIZ E PRAZEROSA.
    MUITO BOM TEU TEXTO.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Zilani! De repente as coisas podem se tornar mais simples, com um pouquinho de boa vontade. Abraços.

      Excluir
  17. Parece que temos mais obrigações que prazeres (rss). Não há como fugir da rotina quando se precisa vencer dias, horas, momentos... sem tempo para pensar em mudar tudo. As reviravoltas, quando ocorrem, são provocadas pela própria vida. Tenho que, abraçar o simples e o possível, não é comodidade, mas uma forma de ser feliz. Abraço.

    ResponderExcluir