sexta-feira, 25 de julho de 2014

Da Flexibilidade dos Rígidos Padrões Sociais


É lógico que não vou vestir saias
Como vestem tradicionalmente os escoceses;
Tão pouco arrotar a mesa, após delicioso banquete,
Como arrota, educadamente, a gente do oriente;
É evidente que não vou ofertar minha mulher
A visitante algum
Como prova de hospitalidade,
Como oferece, gentilmente, a gente esquimó.

É lógico. Ou melhor, é relativamente...

40 comentários:

  1. Bom dia Fábio
    São hábitos e costumes,. ehehehhehhe
    Gostei de ler.

    Beijo e um sábado feliz.

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E a os que chamam de mau costume, depende do ponto de vista de cada cultura. Obrigado Cidália. Beijo.

      Excluir
  2. Fábio, sim, é isso. A vontade é absoluta, mas a ação é relativa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bela frase, Marcos. Resumidamente é nisso.

      Excluir
  3. Não existem maus costumes, só costumes aos quais não estamos acostumados...

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, claro André, e quem disse isso? O mal é relativo.

      Excluir
  4. Fábio juro que não queria viver
    num lugar assim, é uma cultura
    que devemos respeitar mas, eu não
    concordo,é bem diferente da nossa
    Mas valeu saber abraços

    Bom final de semana de frio!!

    ╭✿¸•⊰.•*ღ ღ¸╭•⊰✿Rita!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que tudo e uma questão de costume, Rita. Também não queria. Mas o ser humano se acostuma a tudo. Cada povo tem seus conceitos e ponto de vista. Aqui tá calor. Obrigado!

      Excluir
  5. Gostei do tema, Fábio! Que diferente.
    E é mesmo, achamos tão estranho certos costumes, certas culturas... Muito louco esse mundão! Mas é sempre bom curtir a diversidade e respeitá-la, acima de tudo!

    Um ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol, isso mesmo menina. Cabecinha boa. Tudo de bom, obrigado.

      Excluir
  6. Cultura é a identidade de um povo.
    Trabalho na zona rural e lá aprendi a comer sopa com limão e colocar couve na salada,entre outras coisas.
    Muito bom esse olhar de flexiblidade ao relativamente diferente.
    Até qualquer dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Vall, certíssimo! Bem oportuna sua observação. Aqui memso no meu estado ocorre coisas parecida. Já comeu batata-doce com leite? Delicia!!!!! Prove! rs... Obrigado!

      Excluir
  7. Boa noite, Fábio. Graças a Deus que eu sou brasileira. É verdade, é tudo uma questão de costumes, o que é certo para eles, não é para nós e assim inversamente.
    Bom refletir.
    Tenha um fim de semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo Patricia. Essas questões devemos respeitar o certo ou errado é relativo. Bom que o mundo é bem variado. Beijos!

      Excluir
  8. A grande questão de educação e cultura.
    Homens e mulheres todos nascendo iguais e tornando-nos tão diferentes do ponto de vista comportamental de acordo com as várias regiões do globo.
    Arrotar depois de uma refeição, para mim poderia ser difícil, se o não fizesse ficaria mal, por isso espero nunca ser convidada para jantar por árabes...:-)
    A questão de ofertar a mulher já é quanto a mim um costume só possível por quem vive longe de tudo e de todos...ou seja, pressupõe-se que a mulher é algo de que se possa dispor como propriedade, que se possa oferecer talvez porque raramente sejam visitados por alguém, e é algo de tão ancestral que foi ficando. ..Espero que os visitantes rejeitem.
    xx
    Muito interessante, Fábio, realmente tudo vale de acordo com as tradições de cada povo, mas algumas tradições estão tão erradas...tal como outras tantas novidades actualmente....:-)
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs... Gostei! Sensata, como sempre! Obrigado, Laura.

      Excluir
  9. De repente, se fôssemos pra lá... Pois, não dizem que "o hábito faz o monge"?
    Beijo, Fábio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, não sei se nos adaptaríamos, rs... Obrigado, Shirley.

      Excluir
  10. É, no ponto de vista das outras culturas somos nós os estranhos, provavelmente. Tudo uma questão de ambiente.

    delirandoeescrevendo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Raphael Dias. Lembrei agora do lamentável atentado as torres gêmeas, sobretudo e unicamente pelas vidas inocentes soterradas pelos escombros. Prá eles nós infiéis, pelo qual, agindo daquela forma, estariam agradando a Ala, e recompensados com "seu sacrifício" um lugar no paraíso, rodeado por 29 virgens, pra todo o sempre. Trágica questão de pontos de vistas. Obrigado pela visita.

      Excluir
  11. É a primeira vez que estou no teu blog e gostei muito. Parabéns :)

    http://fromportugaltonyc.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Diana, volte sempre, será um prazer.

      Excluir
  12. Bom dia Fábio... cada qual com seus costumes.. o respeitar tem de vir de berço as nossas vidas..
    se julgamos alguns hábitos ou costumes certo que tb somos julgados pois não tem quem os tenha.. abraços meu amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeitar cada cultura, cada criatura, sem precisar concordar obviamente. Abraços, Samuel.

      Excluir
  13. Intrigante a imagem que usou Fábio, gostei demais, encaixou-se perfeitamente com sua escrita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei Victor. Logo que bati o olho disse, é essa! Obrigado.

      Excluir
  14. E nossas festas, nossas roupas, nossos hábitos... Como podem parecer estranhos para eles também... E se analisarmos apenas o nosso país, quanta diversidade há. Como você diz, é relativo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, menina pensante, a quanto tempo! Expôs sua opinião sabiamente, muito bem dito, perfeita! Obrigado.

      Excluir
  15. Pois é...mas não acho que precisa ir tão longe
    pra ver essa diferença de cultura ou educação.
    Aqui mesmo no nosso brasil ou Brazil temos varias.
    Que vai do Caburaí ao Chuí.
    Uma boa noite

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah é tem razão garota. Diferenças regionais exitem desde o sotaque até alguma expressões tipicas. Até palavras que só exstem em determinadas regiões, estados e até sentido diverso, dai há de se ter determinados cuidados. Obrigado.

      Excluir
  16. Fábio, mostrou perfeitamente algumas diferenças (e quantas existem por aí), mas como finalizou sabiamente, tudo é relativo...
    Grande abraço, sucesso e um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Evandro. o importante é evitar a intolerância e sermos mais flexíveis uns com os outros respeitando as diferenças. Obrigado, Evandro.

      Excluir
  17. O que seria da nossa curiosidade de não fosse o diferente por aí,hein? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito em pensado e concluído, Pri. Obrigado.

      Excluir
  18. Boa tarde Fabio-parabéns pelo seu lindo blog-

    ResponderExcluir
  19. É lógico que não vou comer barata no espeto, aranha frita, carne de cobra, usar burca... Mas você já pensou aquele povo da burca ver sua mulher desfilando de fio dental na praia? Você já imaginou os chineses comendo feijoada com pata e rabo de porco? É, ofereceram aqui e não gostaram. Será que eles comeriam mocotó? E aqui do sul, comeríamos farofa com formiga? E o nosso carnaval? Credo. É, Fábio as coisas de lá também andam por aqui, tudo é muito relativo!
    Bjssss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, brilhante! Fixou com chave de ouro. Vai uma farofinha de tanajura ai? Deliciosa, eu te garanto, rs... Assadinhas na manteira, com farofa, hum... Obrigado, Tais. Beijos!

      Excluir