sexta-feira, 15 de maio de 2015

Espontaneidade



Tua integridade serve-me de estimulo,
Abrigo, quando o mundo me agride,
Regride a era do gelo, do homem rude,
Orquídea a beira do precipício.
Também “sou antigo”, fora de moda,
De cantar serenatas, oferecer rosas,
Se for preciso, minha princesa, rainha,
Minha daminha de outros tempos,
Sinhazinha de sombrinha e tudo.

Vejo bondade em teus olhos,
A pureza dos primeiros anos,
Como saída de um conto de fadas.
Teu sorriso se abre numa parábola
Ascendente que acende teu rosto,
Que estando triste, ainda incide,
Súbito arco-íris nas nuvens chumbo.
Tão inédita, quase impalpável,
Advinda não sei de onde.
Talvez de um livro inacabado,
Um texto abandonado, esquecido,
De tão incrível, tão improvável.
  
Fábio Murilo, 10.05.2015

33 comentários:

  1. Fábio, você tem o dom de tornar tudo bonito, de descomplicar tudo, como se tudo o que você tocasse (com a sua poesia) ficasse puro, sabe?
    Quem dera o amor fosse tão lindo assim, na verdade, ele é, mas a gente faz tudo parecer tão diferente... :c
    E parabéns, porque esses homens à moda antiga são os melhores!!! Raridade!!!

    Lindo poema, boa noite querido amigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carolzinha, lindas e gentis palavras. Um mimo de comentário! Beijos!

      Excluir
  2. Maravilhoso poema,Fábio. Adorei.

    Beijo
    Bom Sábado

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Os poemas, as músicas, os costumes, os sonhos... todos adoram ouvir falar do amor à moda antiga, tinha um 'quê' maior de romantismo. Mas já vai longe, tudo ficou muito imediato, perdeu a graça da conquista, da pureza.
    Beijo, lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Tais, outro tempos, tempos estranhos. Gentileza é gentileza, seja em que tempo for. Rs. Beijos!

      Excluir
  4. Fábio e sua sensibilidade sem tamanho. Alías, sensibilidade tamanha que me deixa sem reação, só com emoção e sem saber o que dizer.
    Lindo poema!

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisa dizer mais nada, Ariana. Se emocionou, é tudo. Beijos!

      Excluir
  5. O verdadeiro amor é assim: prefere ver o lado bom do outro.
    Incrível esse poema e sua sensibilidade!
    Abraços Mika,
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mika. Que comentário lindinho, menina, gostei! Abraços.

      Excluir
  6. O seu poema, Fábio, resgatou a pureza e o romantismo do passado. Ficou lindo.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Shirley. Pois é, essas coisas independem de moda e época. Basta boa vontade. Beijo!

      Excluir
  7. Eu adoraria que todos os homens fossem à moda antiga, no sentido de terem para coma a sua amada gestos de espontâneo romantismo. Para que a mulher se possa sentir a mais linda de todas as mulheres. Assim, se através do amor, puderem ambos ser espontâneos, o conto de fados será sempre realidade.
    Belo poema, Fábio.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa, Fábio, estava à pressa....Seria um conto de fadas e não conto de "fados", é claro. É o fado que me persegue nas teclas do computador! ;-)

      Excluir
    2. É mesmo, Laura. Perfeita! Obrigado. Ah, deixa de perfeccionismo. Eu entendi perfeitamente que era "fadas", rs... Obrigado.

      Excluir
  8. Somewhere In Time... (canção fabulosa)
    Tudo, a música, o poema, a imagem, a descrição que acompanha as notas do Em algum lugar do passado, é algo como: “A pedra que é uma ternura”.
    (Não lembro-me quem escreveu, por isso o parêntesis)

    Quando viajo numa música, ou sou transportada para outro universo com um texto muitíssimo belo e inspirado por sinal, fico assim, em silenciosa contemplação dos que já não vêem sentido nas palavras.

    Vou ficar aqui quieta.

    Meu Olá
    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre com ótimas analises, Priscila, gosto muito! Parabéns! Ola!

      Excluir
  9. Fábio cada palavras escrita por vc torna
    tudo mais bonito quem tem o dom sempre
    faz maravilhas elogios meu lindo parabéns sempre

    Bom domingo e um começo de
    semana cheio de muita Paz

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, gentil Rita. Obrigado pelo carinhoso comentário. Saúde e paz, pra ti também.

      Excluir
  10. Esse anacronismo amoroso, na verdade, é a essência do amor, a hipérbole dos sentimentos e das representações líricas é tudo o que o poeta tem, e a realidade já não importa tanto, nesse contexto!

    Parabéns pela suavidade da poesia e da música de fundo, caro Fábio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário Show, como sempre, Vitor. Obrigado, cara.

      Excluir
  11. Belíssimo poema, Fábio! Teus versos transbordam um doce romantismo, e contemplam o amor de uma forma tão sensível e sublime! Gostei bastante.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, elegante Vane, pelas gentis e sensíveis palavras. Abraço.

      Excluir
  12. Nossa que bonito! E ainda mais com essa trilha sonora linda, parece que estou lendo a poema em outras décadas!!!...
    Lindo Fábio!
    Beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Lilly, por ter viajado no meu texto, rs... Beijos!

      Excluir
  13. Fábio... você já passou por alguma situação em que ficou tão encantando, que ao invés de falar, calou-se?
    Pois assim que fiquei... diante de tão lindo e puro poema!
    Mas... consegui romper o silêncio, para louvar esse sentimento tão bonito... transmitido em versos ternos...
    Tudo que posso dizer, é que seu poema, ficou uma Obra de arte, digna de ser admirada! E aplaudida de pé!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fê. Que lindo comentário, menina! Comentou com coração. Own... Poxa! Deixou-me lisonjeado. Muito amável e carinhosa. Obrigado, visse? Beijos!

      Excluir
  14. Um belo poema de amor construído com palavras que inteligentemente se unem.
    Abraço, Murilo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas elogiosas palavras, Anderson Lopes. Abraço!

      Excluir
  15. Um jeito precioso de expressar sentimentos preciosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Rosa Mattos, pela visita. Volte sempre!

      Excluir