sábado, 18 de julho de 2015

Desmotivação



Sinto-me fora de moda, inadequado.
Num tempo que não me reconheço,
Avesso, sem vontade, nem face.
Como um boi no shopping center,
Um elefante no centro da cidade.

Toda aflição do mundo me alcança,
Sou criança nesse instante nascida,
No vale de todos os perigos, a vida.
Extremado, como nunca,
Nunca sou ameno, mais ou menos.
Estúpido, impotente, decadente,
Isolado, nesse quarto fechado,
Aprisionado na realidade.

Sofro desse permanente
Mal estar no mundo.
Algo sempre me incomoda,
Como um espinho na carne,
Uma nódoa, no tecido
Recém comprado.

Tenho predisposições heroicas,
De deixar algo registrado,
Além da pegada, que todos
Deixam marcada e datada
No cimento fresco.

Uma apatia que tu curarias
Se viesses agora, seria a gloria!
A noite se encheria de estrelas,
Repercutirias no universo,
Os versos te festejariam, poesias.
Cairias como uma luva, um cais,
Onde eu ancoraria meus ais,
Nesse momento adverso.
  
(Fábio Murilo, 18.07.2015)

24 comentários:

  1. Oi Fabio, e quem nunca se sentiu deslocado não é? Aquela sensação de está remando contra a maré, indo contra a maioria. Ainda bem que a maioria nem sempre tem razão.

    Parabéns pelo poema.

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Melancólico mas muito bonito! Adorei
    Excelente sábado...
    Beijinhos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Cidalia. Também há uma certa beleza e dignidade na tristeza. Beijos!

      Excluir
  3. Pois é, Fábio, e como passamos por dias assim! Nada fica bom a não ser esperar pelo dia de amanhã. Mas essas oscilações emocionais fazem parte da vida, nem todos os dias estamos bem; nem todos os dias as pessoas estão bem, nada transmitem de positivo. E assim temos de levar a vida, aceitando que nem tudo são sempre flores e que não vivemos num paraíso. Plagiando N.Rodrigues, temos de aceitar a vida como ela é. isso é sabedoria, nada de entrarmos em parafuso.
    Ótima semana, menino de ouro!
    Bjus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizer mais nada. Ótima analise. Somou! Beijos, Tais.

      Excluir
  4. Não se sinta, de forma alguma, inconformado ou triste, enfim, qualquer coisa do gênero, por não se encaixar nesta geração, Fábio.
    O mundo está de pernas pro ar. É muito coisa ruim acumulada, muita falta de valor, amor, satisfação. Eu me sentiria feliz se pudesse dizer "na minha época não era assim".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário adulto, Carolsinha. Amei! Beijos!

      Excluir
  5. Os momentos mais sombrios se ultrapassam melhor quando se tem apoio.
    Lindo!
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho, Maria Rodrigues. Nem doem. Beijos!

      Excluir
  6. "No vale de todos os perigos, a vida." Amei. Primeira vez aqui no seu blog e já me deparo com essa linda poesia!
    Acho que todos nos sentimos um pouco deslocados às vezes...
    peque-na-sonhadora.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo gentil comentário, Gi. Já posso te chamar assim? rs. Obrigado pela visita, volte sempre! Beijos!

      Excluir
  7. Nossa que lindo amigo Fábio!!! Gostei tanto que compartilhei no Google+...
    Tuas palavras hoje, me tocaram fundo o coração! Parabéns por isso, por com tuas lindas palavras conseguires tocar corações, até mesmo os mais "complicados" como o meu...
    Beijos mil ♥

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Li. Que ótimo que tenha se identificado tão profundamente, é gratificante pra mim. Beijos!

      Excluir
  8. Não se encaixar nessa geração só mostra o quão nobre tu és.
    não fiques triste, sinta-se especial por isso.

    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Suas palavras caíram como uma luva na minha conturbada fase de crise existencial que eu estou passando.

    Deslocado, assim como você, sinto-me. Pertencente a uma sociedade que não me invade, que não me toca e nem eu, a ela. Um mundo fastidioso, de fórmulas, aparências, poder... e ainda há a minha inerente insatisfação por ser assim, tão deprimente, tanto que não pude enxergar em mim, a sua última estrofe.

    Parabéns poeta! Melancolia na vida, inspiração nos versos.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Vitão! Ótimos e profundos comentários como sempre, somou! Abraços!

      Excluir
  10. É sempre assim... mas até lá, há que ir buscar ao nosso próprio poço a força que julgamos que apenas vem de fora...

    abraço

    ResponderExcluir
  11. Oi Fabio,
    Nunca desista de você, em qual estado emocional.
    A vida é assim.Um dia tem tristeza. No outro alegria e em todos tem poema.
    ❀‵⁀,) * ¸.•* ¸.•* ¸.•*
    ..`⋎´ .`•.¸.•☆¸✿‿.•*´¯ ✿ •*´¯✿
    Beijos

    ResponderExcluir