sexta-feira, 24 de junho de 2016

Do Que Ainda



Doce é o sabor da fruta
Colhida no pé,
Na plenitude da estação;
A deslumbrante visão
Da altitude inexplorada
De uma montanha gelada;
A água cristalina,
Que corra ainda,
Na mata inexplorada;
A vida, enquanto intacta,
Sem as marcas da decepção;
A forma despojada
E cheia de ilusão
Da menina que ainda
Não se fez moça,
Da moça que ainda
Não se desfez da menina.
  
Fábio Murilo, 31.10.2001

27 comentários:

  1. Todas as transições que se efetuam ao longo da vida trazem uma certa apreensão, mas um encantamento único da idade. Assim se dá com a menina que de pés no chão a brincar se vê passar para a adolescência. Ah, quantos sonhos a enfeitar a imaginação, quantas dúvidas, apreensões, quanta coisa a conquistar, quanto mistério a desvendar, quanto receio de colocar o pé na nova fase... Mas os de fora a vêem assim, menina-moça, brejeira, olhar suave e sedutor, a vida inteira a lhe despertar os sonhos, assim como tu, meu poeta querido, a descreveu tão fielmente neste belo poema.
    Tenho acompanhado o desenvolvimento de uma afilhada nessa fase tão bonita e ao mesmo tempo cheia de temores, muito mais por parte dos pais que sabem como é "o mundo lá de fora...". A menina-moça, a moça "que ainda é quase uma menina", como diz o teu poema, está flutuando num mundo de sonhos, de magia, onde a vida lhe parece feita somente de coisas belas, à espera apenas de que seus pezinhos as alcancem... E as duas situações são válidas: pais preocupados, filha sonhadora! Existe toda uma temática a ser desenvolvida neste relacionamento, e como diz o ditado "nem tanto ao mar, nem tanto à terra". Há que haver um equilíbrio, uma orientação dirigida, e também a aceitação da vivência de cada um, de deixar que a experiência de vida se processe de forma normal.
    Enfim, meu querido, teus poemas a nos ensejar reflexões que nos conectam com a realidade, mesmo estando a voar nas asas da tua imaginação.
    Grata pelas visitas tão atenciosas e palavras tão generosas que fico a pensar: este poeta tem uma alma muito sedutora e oferta palavras que são exageradamente elogiosas (risos).
    Que no teu final de semana tenha sorrisos a brincar nas tuas horas, estrelas para iluminar teu céu interior, e meu carinho a dizer da minha admiração,
    Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E as duas situações são válidas: pais preocupados, filha sonhadora! Existe toda uma temática a ser desenvolvida neste relacionamento, e como diz o ditado "nem tanto ao mar, nem tanto à terra". Há que haver um equilíbrio, uma orientação dirigida, e também a aceitação da vivência de cada um, de deixar que a experiência de vida se processe de forma normal.

      Hoje eu fico com o comentário da Helena, tão lúcido, consciente e protetor com a menina que ainda Não se fez moça, Da moça que ainda Não se desfez da menina.

      Meu olá
      =)

      Excluir
    2. Claro, Priscila, estão ótimas, só fez somar. Obrigado as duas. Afetuosos abraços!

      Excluir
  2. Boa tarde Fábio.
    Poema fantástico!! Adorei :-)

    Bom fim de semana. Beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Sempre tão delicado ao retratar a alma feminina!

    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo? Que legal guria, observação curiosa, gostei. Beijos!

      Excluir
  4. As ilusões que motivam
    os sonhos, e com sonhos
    é fácil voar;
    bom sabado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Garota. Toda realização começou num sonho. Beijos! Par você também, agora... Madrugada de domingo, bom domingo!

      Excluir
  5. Eu fico com a canção... Se essa rua, se essa rua fosse minha... tão eterna.

    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A é, lindas e eternas canções de outros tempo. De um tempo puro, "de ingênuo folgar", ola!

      Excluir
  6. Enquanto há pureza é tudo tão mágico, mas depois... tudo muda e vamos nos adaptando. Bjinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Nádia. Pena que seja só uma fase, que se desfaz. Beijos!

      Excluir
  7. Respostas
    1. É. Mas a impressão que tudo caminha a passos largos, Sara.

      Excluir
  8. |Doces são suas palavras, sempre encantando todo mundo.

    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, morena. Nem tanto, mas, sinto-me lisonjeado. Beijos!

      Excluir
  9. Fábio,

    Um poema sublime, a alma feminina na sua delicadeza
    e genuíno sentir descrito através da sensibilidade
    e do talento do Poeta.

    Um todo de arte: O poema, a música, a imagem
    expressando esta menina em sua cristalina pureza.
    Belíssimo!!
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei do comentário, Suzete. Da riqueza de detalhes. Beijos.

      Excluir
  10. e a moça nunca devia deixar de ser menina...
    poema terno e suave.
    gostei muito
    beijinho
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o que disse antes, exato. E nem há necessidade ao meu ver. É contingencia, por questão de sobrevivência, de conveniência. Triste.

      Excluir
  11. Que bela obra, Fábio!
    Ótimo retrato da alma feminina, poucos possuem essa sensibilidade e talento.
    Grande abraço, sucesso e ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, obrigado. E tu que é o cara. Abraços!

      Excluir
  12. Oi, Fábio, poema com alma totalmente voltado ao feminino! Delicado, terno, romântico: Do que ainda... enquanto ainda!
    "A vida, enquanto intacta,
    Sem as marcas da decepção;"

    Um dos melhores!! Mas são tantos...rss
    beijo, menino de ouro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Tais. Sempre tão generosas em suas colocações. Beijo!

      Excluir