sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Noturno - Augusto dos Anjos/Othon Bastos

3 comentários:

  1. Escolheu uma maravilha! Obra -prima.
    bjus

    ResponderExcluir
  2. Lindo o Noturno de Augusto dos Anjos!
    xx

    ResponderExcluir
  3. Um poeta sem comprometimento rígido a nenhuma corrente literária. “A carne humana é que se finda, mas a alma é divina”. Belíssimo poema, apesar da forte essência taciturna.

    ResponderExcluir